Antonio F. Silva's Film Review

AKA In my humble opinion

Pirates of the Carribean: Dead Man's Chest (imdb|official)

Diferencia-se esta sequela num argumento mais complexo, com varias histórias, vários protagonistas que se desafiam mutuamente, sobretudo a nível do carácter das personagens que parece flutuar ao longo do filme. Flutuar ou a revelar-se? Uma fotografia de postal das Caraíbas, constante, o que vem mesmo a calhar nesta altura de ferias. De facto a localização real leva a um filme sempre um realismo superior.

Os efeitos especiais estão como no primeiro, surpreendentes e criativos. E que nunca se pense que já se viu tudo ao ver o trailer!

Talvez o único ponto negativo, é o filme acabar em suspense e a pedir o terceiro capítulo dos Piratas. O que deixa um certo vazio ao sair do cinema, depois de tudo ter estado a correr bem, e saber que temos de esperar mais um ano para ver o resto é um tortura… bem ao jeito das que vemos no filme.

 

Crash (imdb|official)

Dizer que Crash é o melhor filme do ano, não sei se é verdade. Até porque é muito complicado comparar filmes entre diversos géneros, e aí a comedia fica sempre a perder, talvez porque ninguém a leva a sério...

Mas que Crash é um grande filme, lá isso é. Podemos decompor a sua construção em diversas pequenas historias que se interligam. Alguns diriam que só no cinema, o que é falso, quantas vezes dizemos nos “o mundo é pequeno” pelo facto de se conhecer alguém que conhece alguém que conhece alguém que conhece.

Os pequenos episódios são nos contados com calma, que se eleva sempre até uma intensidade emocional entre as personagens que é raro de se ver assim tantas vezes e de forma tão bem feita noutros filmes.

Um filme onde os bons praticam actos maus e os maus actos bons. Não tanto como forma de redenção ou vingança, mas sobretudo, mais do que estranha coincidência, revelam nos actos, a sua coragem ou os seus medos.

Neste filme ninguém é passivo, faz desejar que existisse um Óscar para os actores no seu conjunto. Também não julgo que seja um filme sobre o racismo, se todos os actores fossem brancos, as historias acabariam por acontecer da mesma forma, a justificação poderia seria simplesmente outra que a da cor da pele. 

 

Munich (imdb|official)

A mensagem clara será violência gera violência e é um ciclo vicioso e sem fim. Neste aspecto não é muito optimista quanto ao futuro da humanidade. No entanto outra mensagem será a possibilidade que cada um tem de parar para pensar, sofrer moralmente as consequenciais dos seus actos no passado, só assim será possível a redenção.

Talvez o filme mais corajoso de Spielberg. Contrariamente a Lista de Schindler, não se passa num tempo completamente definido na historia, em que como a própria imagem do filme a preto e branco, também as personagens maus e bons eram a preto e branco.

Não! Em Munich não existe puramente maus e bons, só existe personagens que entram a um dado momento na historia e escolheram um campo. E esse campo será sempre o correcto enquanto não se parar para pensar.

Por vezes parece nos fazer torcer pela personagem desempenhada por Eric Bana, mas talvez só porque o filme, nos apresenta a sua família, o seu filho recém nascido. Também por parecer que esta a responder a letra aos atentados. Mas o que seria se em vez de seguir a vingança pós atentado de Setembro se seguíssemos a vida de um dos terroristas contratados para executar o atentado. O próprio atentado não será também ele o resultado de outro atentado qualquer anterior.

O filme tem a fotografia própria dos filmes dos anos 70, simula bem a química da película cinematográfica da época. Só a montagem revela uma certa modernidade.