Iniciando uma Horta Caseira

HORTA CASEIRA    INICIANDO UMA HORTA



A ESTRUTURA PARA O PLANTIO DE UMA HORTA:


Para preparar uma horta, independente do que será plantado, lembre-se que 
ela exige alguns cuidados extras, mesmo quando não for a época de 
plantio. 
Por issso, faça um caminho central que tenha pelo menos 1,20 
metro de largura. 
Essa medida é ideal para facilitar as regas, bem 
como o manuseio das ferramentas dispostas em geral neste espaço. 
Já as pequenas passagens laterais podem ter apenas 30 centímetros, espaço 
suficiente para que uma pessoa se movimente sem dificuldade. 




>





 

  Em sua casa:
As hortaliças precisam de muito sol para produzir plenamente. Em outras palavras, devem ser plantadas a sol pleno. O terreno destinado à horta deve ser dividido em canteiros, que serão feitos à enxada. A altura dos canteiros depende do solo. 
Nos solos secos, ele deve ser feito ao nível do chão e nos úmidos com 10cm de altura e sua largura deve ser de 1 metro e 25cm e o comprimento pode variar, não convém ser maior que 8 metros. As ruas entre os canteiros devem ter 60cm, mas para economizar terreno podem ter um mínimo de 30cm. 
As terras dos canteiros devem ser bem revolvidas e sem pedras ou paus podres. O terreno após o preparo recebe adubos, que devem ser perfeitamente distribuídos. O melhor adubo para hortaliças é o estêrco de curral bem curtido e os adubos orgânicos, que se encontram no comércio, como farinhas de sangue, de ossos, de peixe, etc.


COMO PREPARAR O LOCAL DE PLANTIO 

preparo da hortaO local onde será implantada a horta deve estar livre de pedras, cascalho e entulhos. Caso exista a possibilidade da invasão por animais é interessante prover um pequeno muro.

1- Então, roce o mato e plantas rasteiras de modo que até as raizes sejam arrancadas.

2- Em seguida, marque as áreas dos canteiros, que não devem ultrapassar a 1 metro de largura, podendo variar de comprimento. Deixe corredores de 40 cm a 50 cm entre os canteiros e a um metro do muro ou da cerca para facilitar a limpeza do canteiro.

3- Cave a área demarcada dos canteiros, afofando o terreno em uma profundidade de 20cm aproximadamente, marcando o solo em partes iguais. Tire do solo de uma das partes marcadas e vá fazendo uma rotação, como mostra a ilustração.

Retire pedras e restos de raízes que possam ter ficado na limpeza inicial. Misture à terra afofada, 20 litros de esterco de curral curtido ou composto orgânico por metro quadrado e aplaine o terreno. O ideal é que os canteiros fiquem uns 20 cm mais altos que o terreno. Essa elevação de nível serve para melhorar a drenagem, e evitar a erosão provocada pela água das chuvas. 

4- Deixe uma valeta entre um canteiro e o outro, para facilitar o escoamento da água. Em hortas domésticas, o ideal é que esse espaço                        seja pavimentado. Faça fileiras para acomodar as sementes ou pequenas covas, respeitando o espaçamento específico para cada planta.


PLANTANDO HORTALIÇAS EM LOCAIS REDUZIDOS

Você pode cultivar algumas hortaliças em pequenos espaços. Nesse caso você pode usar pequenos vasos ou jardineiras, e nele colocar as plantas (sementes) ou as mudas propriamente ditas. 



                   
HORTA CASEIRA        ADUBANDO A HORTA

Adubar consiste em corrigir as deficiências naturais do solo em algum nutriente importante para o crescimento das plantas ou para repor os nutrientes removidos pelas colheitas.

A necessidade de suplementação dos nutrientes do solo no cultivo de hortaliças é obrigatória, e a falta dela está diretamente relacionada ao ataque de pragas e doenças. 

Aplica-se o cal dolomítico com os objetivos de elevar os teores de cálcio e magnésio no solo da horta.



 
Toda matéria orgânica, plantas e animais mortos, ou partes cortadas de plantas entre outros, sofrem um processo de decomposição lento, ao final do qual voltam aos elementos carbono, oxigênio, fósforo, nitrogênio, cromo, zinco e outros químicos iniciais. Este processo, provocado principalmente por bactérias e fungos, é essencial na nutrição das plantas, dos animais e na continuidade da vida no planeta. A velocidade desta decomposição depende da relação entre o carbono e o nitrogênio: muito carbono e pouco nitrogênio levam a uma decomposição demorada. A riqueza mineral final depende da composição do material orgânico inicial: material orgânico rico dá origem a minerais em grande número. Das várias etapas percorridas pela decomposição, a mais importante é a formação do húmus (ver quadro ao lado) , matéria indispensável para a vida biológica e a capacidade nutricional dos solos. O húmus aumenta a resistência da planta a fungos e insetos. Pela heterogeneidade populacional que cria no solo, impede o crescimento de fungos ou bactérias que atacam as plantas jovens. Estimula e equilibra a alimentação das plantas, desenvolvendo a raiz, instigando a atividade respiratória e celular.

ADUBAÇÃO VERDE

Consiste na incorporação ao solo, de qualquer massa verde, seja ela gramínea ou não, e que venha a trazer benefícios para o próprio solo. As leguminosas são plantas mais utilizadas para este fim, em função delas serem mais eficientes quando comparadas com as gramíneas. 

adubação verde é uma prática utilizada há mais de mil anos por diversos povos, e uma das mais eficientes e baratas maneiras de melhorar a terra. As plantas utilizadas como adubo verde possuem características especiais, e são em grande maioria da família das Leguminosas, tendo como elemento comum entre elas o fato de possuirem vagens onde as sementes são abrigadas.

A característica mais importante dessas plantas, são nódulos formados em suas raízes por uma bactéria (rizóbio) que tem a capacidade de fixar nitrogênio na planta (400 kilos de nitrogênio por hectare em 1 ano). São plantadas consorciadas com outras plantas. Clique aqui para ver como plantá-las!. 


TÉCNICAS DE PREPARAÇÃO DE COMPOSTO

As técnicas de preparação do composto são inúmeras, podendo dizer-se que variam de local para local; mas seja qual for o processo seguido, o composto é sempre uma matéria orgânica terrosa perfeitamente curtida.

EXEMPLO DE COMPOSTO ORGÂNICO EM ESPAÇO REDUZIDO

O cesto telado deve ter a altura e a largura de 1,50cm. Pode-se utilizar a tela de galinheiro ou a tela plástica.
Todo material de origem animal ou vegetal poderá ser usado. Usar cavacos de madeira, gravetos, sabugo de milho, vagens de árvores. Restos de alimentos deverão ser cobertos com terra para evitar ratos ou outros animais.

Não usar materiais como vidro, plástico, couro, tinta, óleo ou madeira invernizada ou tratada contra cupins.

A pilha deve ter uma proporção maior de material que se desfaz lentamente, como galhos, palhas, folhas e aparas de gramas que entram com o carbono. Revolver o composto 3 a 4 vezes o primeiro mês de compostagem e pelo menos duas vezes depois.

Para evitar altas temperaturas (acima de 60oC, deve ser feito o revolvimento constante ou adição de água.

ESTRUME
Desde os mais remotos tempos, até há pouco mais de um século, a matéria orgânica - principalmente o estrume - foi o único fertilizante empregado na horticultura. Fatores diversos e a necessidade de debelar o cansaço da terra dentre outros fatores, facilitou o desenvolvimento dos mais variados métodos de fertilização. 

O emprego do estrume ou de matéria orgânica pode não ser a forma mais econômica de restituir ao solo os principais nutrientes que dele retiram as plantas; mas a sua aplicação dever-se-á manter, pois o maior valor do estrume reside na matéria orgânica em sí, ou melhor, nos benefícios que ela traz ao terreno. Em muitos casos, a dificuldade de se conseguir o estrume necessário ao estabelecimento da horta impede a cultura intensiva de muitos terrenos que, quer pelas suas qualidades físicas, quer pela sua localização, estavam indicados para hortejos. Por esse motivo, procurou-se substituir o estrume por outra matéria orgânica, em fermentação, que fosse capaz de produzir os mesmos efeitos. 

O composto pode ser feito em pilhas ao ar livre ou composteiras. As pilhas, são indicadas para quem dispõe de muito espaço e também gera grandes volumes de resíduos orgânicos, têm a vantagem de não exigir equipamentos especiais. As composteiras são indicadas para quem tem problema de espaço ou produz pequena quantidade de resíduos.                    


 
HORTA CASEIRA         SEMEADURA           



A semeadura 
pode ser feita diretamente no canteiro, desde que as mudas fiquem protegidas 
do sol. Basta distribuir as sementes em sulcos, de maneira uniforme, observando 
a distância estipulada para cada planta, cobríndo-as depois com terra 
peneirada.

Na linguagem popular, e até utilizadas por alguns técnicos, as hortaliças são classificadas como legumes, verduras e condimentos. Denomina-se legume toda hortaliça cuja parte aproveitada como alimento é o fruto, semente, bulbo, raiz ou tubérculo, tais como: tomate, ervilha, cebola, cenoura, batata, etc. Verduras são as hortaliças cujas partes aproveitadas são folhas, flores e hastes, tais como: alface, couve-flor, brócolos, agrião, e etc. Os condimentos compreendem as hortaliças cuja finalidade é melhorar o  sabor, o aroma, ou a aparência dos alimentos, como o coentro a cebolinha, a salsa, a pimenta, dentre outros. 

 

  Em sua casa:
De acordo com suas exigências de plantio, as hortaliças podem ser divididas em dois grupos: as que podem ser plantadas no local definitivo (clique aqui para ver exemplos), e as que exigem transplante.

As primeiras podem ser plantadas diretamente nos canteiros onde serão cultivadas. As outras, em sementeiras, quando deverão ser transplantadas depois da brotação, ao atingirem de 15 a 20 cm de altura. Alguns exemplos:


TIPOS DE SEMEADURA

em superfície
a lanço com 
compactação
com enterrio 
de sementes

 

A semeadura a LANÇO é usada para sementes muito pequenas. Antes de semear, as sementes devem ser mergulhadas em água durante 12 horas para facilitar a germinação. Espalhe-as sobre a superfície do canteiro, começando com da borda para dentro .

EM SULCOS E COVAS - Devem ser espaçados de acordo com as indicações para cada hortaliça, que lhe propicie um perfeito desenvolvimento. De qualquer forma, em se tratando de sementeiras, os sulcos devem ficar com uma distância de 5 a 10 centímetros um do outro.

SEMENTEIRAS - Essa dica foi publicada na Revista Natureza e aproveita uma caixa de frutas (dessa que compramos em hortomercados - as fotos são de Bruno Semler):

Feche a parte central da caixa com pedras e encha o caixote com terra já preparada com adubo.
Para que a terra fique bem distribuída, passe uma régua nas laterais do caixote. Em seguida amasse-a com uma táboa para que fique firme. Se a semente tiver o formato semelhante ao de um grão,                      com a ponta de um lápis faça furinhos com a profundidade equivalente ao dobro do diâmetro da semente.
Deixe 5 cm de diâmetro entre os furos. o espaçamento entre as sementes, vai depender das características de cada planta. Coloque apenas uma semente em cada furo.
As sementes mais delicadas devem ser espalhadas em sulcos. Para a cobertura, use uma camada bem fina de terra e em seguida umedeça bem o substrato borrifando água de maneira uniforme.

Enterrar as duas pontas dos arames em toda a extensáo dos sulcos e em seguida cobri-los com plástico transparente. Se acontecer de duas ou mais mudas crescerem juntas, faça um desbaste quando estiverem prontas para o transplante.

  
PROTEGENDO A SEMENTEIRA
Deve-se ter cuidado com a proteção, em geral feita com coberturas. Estruturas de arames cobertas com plástico transparente ou telhas transparentes de fibra podem ser de grande valia.

O mesmo efeito tem a cobertura com telhas transparentes de fibra. Neste caso é só entortar a telha, enterrando as extremidades ou calçando-as com pedras. Em estufa, a planta deve receber o máximo de radiação necessária para a fotossíntese, minimizando a sombra, prevenindo a entrada de  insetos e rajadas de vento. As coberturas de polietileno absorvem a radiação infravermelha e impedem a fuga de radiações de onda longa da estufa, reduzindo os gastos de calefação. Através do controle de irrigação, pode-se controlar/medir a fertirrigação, possibilitando irrigar e fertilizar a planta justamente como ela precisa.

FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS

Para as pequenas hortas a enxada e qualquer equipamento que permita regar as plantas são os únicos considerados indispensáveis, instrumentos como: enxadão, par, garfo, cavador reto, mão-de-onça, ancinho, sacho, pazinha de transplante, carro-de-mão, marcadores diversos, pulverizadores e outros improvisados pelo olericultor, são importantes porque facilita os trabalhos e proporcionam o melhor rendimento.

INICIANDO UMA HORTA| ADUBAÇÃO| COMPOSTO RÁPIDO| SEMEADURA| MANEJO| PRAGAS| CUIDADOS COM A TERRA| CALENDÁRIO HORTÍCULA| HORTA & SAÚDE





HORTA CASEIRA     MANEJO              



Há 
espécies de hortaliças cujas sementes são postas na terra dos canteiros 
e aí nascem e crescem.
Outras devem ser semeadas e depois de nascidas 
transplantadas para o canteiro definitivo, onde então ficam vegetando 
até a colheita. 

Quando utilizada adequadamente, a rotação de cultura resulta 
em benefícios tanto na produção quanto na manutenção das 
fertilidade do solo, diminuindo os problemas com pragas, 
doenças e plantas daninhas.


 

 

  Tratos Culturais:
Para transplantar hortaliças que foram semeadas em sementeiras, dê preferência a um fim de tarde ou a um dia nublado e proceda da seguinte forma:
Molhe bem a sementeira;
Abra as covas no canteiro definitivo, observando o espaçamento para cada planta.
Escolha as plantas mais viçosas retirando-as com um pouco do torrão junto à raiz.
Coloque as mudinhas nas covas, juntando terra e apertando um pouco em volta e regue com cuidado


IRRIGAÇÃO

A água é essencial para o desenvolvimento das plantas, principalmente das que possuem crescimento rápido e grande quantidade de massa verde. O número de irrigações e a quantidade de água a ser aplicada vão depender das condições do solo, clima, espécie de hortaliças e desenvolvimento das plantas. De um modo geral, a quantidade de água a aplicar por vez, deve ser o suficiente para molhar a terra até a profundidade de 20 a 25 cm, onde se concentram a maioria das raízes. O excesso favorece a erosão e a lixiviação dos nutrientes. A falta prejudica o crescimento e a qualidade dos produtos podendo acelerar o processo de maturação.

ROTAÇÃO DE CULTURA

As plantas soltam pelas raízes certas substâncias que são características de sua espécie. É o chamado efeito "alelopático" (ação de uma espécie sobre o desenvolvimento da outra). Uma grande área com plantas da mesma espécie, pode facilitar o surgimento e rápido desenvolvimento de pragas e doenças, e até mesmo depauperar o solo, visto que há uma concorrência pelos mesmos nutrientes. O plantio consorciado de duas ou mais espécies reduz esse risco. Essa modalidade de plantio, no entanto, não deve ser feita sem que se saiba os efeitos dessa consorciação.

Com relação às hortaliças, além da rotação de culturas, que garante alimentos saudáveis sem o desgaste do solo, é importante planejar o plantio das folhas, para que toda a produção não fique pronta para a colheita de uma só vez. Evite replantar seguidamente no mesmo canteiro o mesmo tipo de hortaliça. O ideal é alternar o cultivo seguindo o esquema: RAIZ - FOLHA- FRUTO. Por exemplo, se você plantou cenoura (raiz) num canteiro, da proxima vez, plante agrião (folha) e após colher o agrião, plante tomate (fruto). Depois plante novamente outra raiz. Resumindo:

  • Não utilizar seguidamente espécies pertencentes à mesma família botânica, pois são geralmente atacadas pelas mesmas pragas e doenças.
  • Utilizar espécies mais exigentes em elementos minerais, e, em seguida, explorar a mesma área com outras menos exigentes para aproveitamento das sobras de adubos não utilizados pelas primeiras.
  • Para explorar melhor as potencialidades do solo, alternar culturas com sistema radicular profundo e pouco profundo.
  • Utilizar culturas que fornecem material orgânico alternados com outras que favorecem sua recomposição.

A seguir, veja as principais hortaliças da mesma família que não devem ser cultivadas sucessivamente no mesmo local.

  1. Solanáceas - batata, berinjela, jiló, pimenta e tomate.
  2. Cucurbitáceas - abóbora, abóbora-italiana, abóbora-japonesa, chuchu, maxixe, moranga, melão, pepino.
  3. Crucíferas - agrião, couve-brócolo, couve-de-bruxelas, couve-chinesa, couve-flor, couve-manteiga, mostarda, nabo, repolho e rúcula.
  4. Liliáceas- alho, alho-poró, aspargo, cebola e cebolinha. 

    Para saber se você está no caminho certo, observe sempre a horta. Se começar a desaparecer os capins,que indicam solo fraco , e começam a aparecer espécies espontâneas de folha larga (que indicam solo bom), tudo está correndo perfeitamente bem!
TUTORAMENTO

Algumas plantas precisam encontrar, para se desenvolverem, um apoio no qual possam subir. Em geral são as vagens, feijões, tomates, etc, que precisam de um suporte.

Veja algumas sugestões de tutoramento para a planta:

Se precisar de orientação técnica, você pode procurar a Emater de sua região para obter as informações necessárias e conseguir um projeto específico para seu sítio ou fazenda gratuitamente. Informe-se também em outros órgãos ligados à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da sua cidade.



  
 
HORTA CASEIRA   PRAGAS & DOENÇAS      

pragas                         

As doenças mais comuns nas hortaliças são causadas por fungos, bactérias e vírus. As ocasionadas por fungos, deixam  as plantas manchadas de cinza, marrom, branco ou preto. 
Os únicos produtos indicados para a utilização em hortas caseiras são os feitos à base de cobre e enxofre por possuírem pouca toxicidade.
Mas além da pulverização semanal, deve-se retirar as plantas com sintomas de doenças.
Ocorrendo ataque de pragas, fique bem atento e veja ao lado, algumas das pragas mais comuns e algumas dicas de combate.

Quando utilizada adequadamente, a rotação de cultura resulta 
em benefícios tanto na produção quanto na manutenção das 
fertilidade do solo, diminuindo os problemas com pragas, 
doenças e plantas daninhas.

 
 

 






 

 DA HORTA:

Uma grande área com plantas da mesma espécie, pode facilitar o surgimento e rápido desenvolvimento de pragas e doenças, e mesmo depauperar o solo, visto que há concorrência pelos mesmos nutrientes.

A necessidade de suplementação dos nutrientes do solo no cultivo de hortaliças é obrigatória, e a falta dela, está diretamente relacionada ao ataque de pragas e doenças.

plantio consorciado de duas ou mais espécies reduz o risco de pragas. Essa modalidade de plantio, no entanto, não deve ser feita sem que se saiba os efeitos dessa consorciação.

TIPOS DE PRAGAS

FORMIGAS

Talvez o mais terrível inimigo da horta, a formiga saúva e em certos lugares a formiga quemquém. Estas duas formigas cortadeiras, são eficientemente combatidas (veja em dicas de jardinagem)com uma série de formicidas: sulfureto de carbono, brometo de metila e outros que se encontram no comércio                          e cujas bulas, que acompanham o produto, explicam o modo de usar. Para pequenas áreas, o melhor remédio é fazer o controle preventivo, com meios mecânicos, impedindo que as formigas cheguem até as folhas das plantas.

LAGARTAS
Proliferam-se com rapidez e se alimentam das partes aéreas da planta. Para combatê-las, recomenda-se a remoção manual ou com uma pinça. No caso de não conseguir localizá-las, basta revolver a terra em volta da planta para que fiquem expostas ao sol.

Combate - pulverizar a planta infectada - Dissolver 10 gramas de fumo de rolo e 100 gramas de sabão de coco em 20 litros de água fervente. Deixe descansar por 12 horas e pulverize os locais afetados.

LAGARGA ROSCA - Encontradas embaixo do solo a uns 10 cm de profundidade, elas podem ser pegas com uma isca bem fácil de fazer. Isca: misture 100 gramas de açúcar, 100 gramas de pó de arroz e 5 gramas de inseticida DIPEL (biológico). Vá adicionando água até criar flóculos. Aí é só espalhar a isca em volta da planta atacada.

CARAMUJOS, LESMAS E TATUZINHOS

É comum que estes pequenos animais frequentem a horta, mas se houver desequilíbrio podem causar muitos danos à horta.
Isca:espalhar pedaços de chuchu ou abóbora pela horta, para atraí-los e depois pegá-los. Latas de pouca espessura contendo sal e cerveja também são bastante atraentes para estes pequenos insetos.


VAQUINHAS 
São emelhantes a um besourinho, sendo que uma das principais tem a coloração verde e amarela. 
Combate: Extrato de Pimenta - bater 500 gramas de pimenta e dois litros de água no liquidificador até a maceração total. Coar e misturar sabão, acrescentando por fim os 2 litros de água restantes.

ÁCAROS
São parecidos com carrapatos, só que bem menores, podendo ser enxergados somente com o auxílio de uma lupa. Os principais são os  ácaros vermelhos, os ácaros brancos e os rajados. Considerando ciclo biológico de uma semana, a ausência de controle natural e a produção de 50 fêmeas, em quatro semanas cada ácaro (fêmea) pode dar origem a mais de seis milhões de ácaros. CombateCalda de fumo com sabão - basta adicionar sabão à calda de fumo comum e pulverisar na folhagem.


COCHONILHAS
cochonilhasSão pontinhos brancos ou avermelhados, que sugam as folhas e talos das plantas até acabar com a seiva.
Emulsão de óleo: leve 1 kg de sabão picado, 8 litros de óleo mineral e 2 litros de água ao fogo até levantar fervura. Mexa até virar uma pasta, que pode ser armazenada para futuras aplicações. Na hora de pulverizar a emulsão, dissolva a pasta em água morna e misture o equivalente a 300 gramas para cada 20 litros de água fria.

PULGÕES

É muito difícil fazer catação manual, a melhor maneira de combatê-los é pulverizando inseticidas naturais. Calda de fumo: pique 20 gr de fumo de rolo, coloque em 1 litro de água e deixe ferver durante meia hora. Coe em pano                  fino e dilua a mistura em 4 litros de água. Depois é só pulverizar sobre as plantas, em especial nas partes afetadas pelos insetos.

Nematóides: São “parentes” das lombrigas e atacam pelo solo. As plantas afetadas apresentam raízes grossas e cheias de fendas. Num ataque intenso, provocam a morte do sistema radicular e, conseqüentemente, da planta. Algumas plantas dão sinais em sua parte aérea, mostrando sintomas do ataque de nematóides: as dálias, por exemplo, podem apresentar áreas mortas, de coloração marrom, nas folhas mais velhas.
Algumas plantas superiores produzem um número considerável de substâncias químicas ativas, também chamadas de aleloquímicos, capazes de influenciar a germinação, crescimento e desenvolvimento de outras plantas. Esta interferência é denomada alelopatia. A ação destes aleloquímicos não é muito específica, podendo uma mesma substância desempenhar várias funções. Sob o ponto de vista agrícola, estudos dos efeitos alelopáticos e a identificação de plantas que os possuem, torna-se assunto de grande importância, tanto na utilização de cultivares capazes de inibir plantas daninhas, quanto na determinação de práticas culturais, como na rotação de culturas, cobertura morta e outras. 
Segundo os pesquisadores, as substâncias alelopáticas liberadas por uma planta, poderão afetar o crescimento, prejudicar o desenvolvimento normal e até mesmo inibir a germinação de outras espécies vegetais.






HORTA CASEIRA  CUIDADOS COM A TERRA           




Solo 
é um sistema poroso, composto de uma parte sólida e outra vazia. 
vazia é ocupada por água e ar. A sólida é composta da parte mineral - areia e argila - e da parte orgânica, que são as plantas e os animais que morrem e se decompõem. 










A acidez do solo é um problema comum a quase todas as regiões brasileiras, e a tendência, se não for corrigida, é ampliar-se sobretudo nas regiões de solos arenosos sujeitos a altas precipitações e cultivos intensivos.







A rotação de culturas é fundamental para manter a produtividade do solo. Esse procedimento fornece à terra o equilíbrio desejado, com o cultivo alternado de no mínimo quatro o culturas sucessivas.




 

  Manejo da Horta:

O solo respira e tem sede. É vida para as plantas, animais pequenos, como vermes, e outros maiores, como as minhocas e os gongolos. Esses animais, ajudam a manter a vida do solo fazendo túneis para a entrada do ar e da água; transformando restos de vegetação e de animais em adubo para a terra; ajudando a planta a se alimentar, prendendo-se em suas raízes.

TIPOS DE SOLO

Para que o solo possa proporcionar vida aos animais e às plantas, deve ser bastante arejado ou com numerosos pequenos canais e dar condições às raízes para que elas penetrem pronfundamente e cresçam abundantes.

TIPOS DE SOLOS

 

ACIDEZ 

Se o solo é fertil, mas classificado como ácido, as adubações são quase sempre em vão, pois a acidez impede que o nutrientes sejam liberados para as plantas.

Neste caso, a correção do solo, chamada de calagem, é necessária. Para reconhecer o solo ácido (vide tabela ), observe se é constante a presença de plantas como tiririca, sapé, carrapicho-de-carneiro e samambaia; se forma poça d´água turva e não transparente, e se ele é claro.

CALAGEM

Para corrigir a acidez do solo deve-se colocar um copo (a cada 2 anos) de calcário dolomítico por metro quadrado, espalhando-o uniformemente e incorporando-o a uns 15 centímetros do solo - este calcário só terá efeito após 2 ou 3 meses, mas isso não impede o plantio imediato no canteiro. As plantas mais resistentes à acidez são a berinjela, batata-doce, abóbora, pimentão e nabo.


EROSÃO

É a perda do solo pela água da chuva ou pelo vento. A erosão é muito prejudicial ao solo e devemos a todo custo evitar que ela ocorra. Começa levando as camadas superficiais do solo onde a maior parte das raízes se alimenta e onde existe mais vida. Sabemos que há erosão quando:

  • Observamos danos na vegetação, com o aparecimento de manchas de solo nu e pequenos sulcos; 

  • Nos morros é comum aparecerem voçorocas, que são desmoronamentos de terra que começam em pequenos sulcos e se transformam em grandes rachaduras; 

  • Podemos ver falhas na plantação, parecendo que esquecemos de jogar sementes em alguns lugares; 
 
  • Há o aumento de pragas e doenças; 

  • As raízes das nossas culturas não penetram muito fundo; 

  • Rios e córregos, em época de chuva, têm cor de barro, 
  • Ao chover nos morros, a água desce por caminhos feitos por ela ou por agricultores que não plantaram em curva de nível.
 

FIGURA A - como não se deve plantar.

 





FIGURA B - plantamos errado morro abaixo

 

 


FIGURA C
 - plantio correto em curva de nível



HORTA CASEIRA        CALENDÁRIO HORTÍCULA   



 

  

ESPÉ-

CIE

TIPO DE PLANTIO
ÉPOCA DE PLANTIO
INÍCIO GERM. (Dias)
ESP. (Metros)
COLHEI-TA
(Dias)
  JanFevMarAbrMaiJunJulAgSetOutNovDez   
AlfaceCanteiroxxxxxxxxxxxx50,30x0,3070-90
Alho-
poró
Canteiro xxxxxx    60,40x0,15130-150
AspargoSulco xxxxxxx    121,50x0,501.080
BerinjelaSulco/
cova
xxxxxx xxxxx81,20x0,6090-100
CebolaCanteiro  xxxx      60,40x0,10150-180
CebolinhaCanteiroxxxxxxxxxxxxx0,20x0,1580 - 90
ChicóriaCanteiroxxxxxxxxxxxx50,30x0,30<70 - 80
Couve-
brócolis
Sulco/
cova
xxxxxxxxxxxx51,00x0,5090-100
Couve-
bruxelas
Sulco/
cova
 xxxxx      4<1,00x0,5090 - 90
Couve-
chinesa
Sulco/
cova
  xxxxxx    40,80x0,3080 - 90
Couve-
flor
Sulco/
cova
xxxxxxxxxxxx41,00x0,50100-110
Couve-
manteiga
Sulco/
cova
xxxxxxxxxxxx41,00x0,5080 - 90
JilóSulco
cova
xx     xxxxx71,20x0,7090 -100
MostardaCanteiro  xxxxxx    40,30x0,2050 - 60
MorangoCanteiro xxxx       -0,30x0,20100-120
PimentaSulco/
cova
xx      xxxx71,20x0,60100-120
PimentãoSulco/
cova
xxx    xxxxx71,00x0,50100-110
RepolhoSulco/
cova
xxxxxxxxxxxxx0,80x0,4085 - 90
SalsãoCanteiro  xxxxxx    121,00x0,3090 -100
TomateSulco/
cova
xxxxxxxxxxxx61,00x0,5090 -100

             

 
HORTA CASEIRA     HORTA & SAÚDE          

horta caseira
Cerca 
de 70% de minerais e vitaminas e entre outros elementos, que uma pessoa 
precisa diariamente para se alimentar são encontradas em uma horta.

Estudos recentes têm evidenciado que parte da população está superalimentada mas subnutrida, pois ingere caloria em excesso e nutrientes essenciais em falta.

Os alimentos industrializados geralmente sofrem perdas de vitaminas e de sais minerais, tornando nossa alimentação deficiente. Por causa diso, frequentemente torna-se necessária uma complementação nutricional, para que as pessoas possam desempenhar melhor suas tarefas diárias e usufruir de boa saúde. 

Assim, fique atento para situações que necessitam de maior aporte de vitaminas e sais minerais:
Lactação, infância e adolescência; mulheres na gravidez e após a menopausa; dietas de baixa caloria para perda de peso; tabagismo e ingestão regular de álcool; idosos; pacientes cirúrgicos; usuários de medicações contínuas para doenças crônicas. 

 

 




 

As hortaliças têm funções medicinais que muitos de nós desconhecemos. São componentes básicos na formação de músculos, tecidos, glândulas e órgãos saudáveis. Compreendem todos os vegetais cultivados em horta, cujas partes são comestíveis: caule, raízes, folhas, flores, frutos e sementes. Veja como elas podem se transformar em grandes remédios e fortes aliados da saúde:

ABÓBORA

A polpa usada crua, como salada, temperada com limão é util nos casos de "retenção de água", hidropisia e cólicas produzidas por gases. A semente é eficaz como vermífugo. As folhas fornecem um suco mucilaginoso, muito útil em caso de queimaduras, assaduras e brotoejas. Os brotos da aboboreira, são ótimos como alimento e indicado nos casos de prisão de ventre. Cozida como um caldo pode ser administrada a crianças com intestino solto.


ACELGA

É muito refrescante, diurética, de fácil digestão e muito indicada por esses motivos aos que sofrem de reumatismo, gota e eczemas. As sementes da acelga, tostada e bem socadas, formam um pó que, misturado com babosa ou chá forte de casca de carvalho, é indicado na forma de implasto para secar hemorróidas e para feridas em geral, inclusive frieiras. Para coceiras difíceis de sarar, macere guaçatonga, arruda, alecrim e misture no pó das sementes de acelga e use como pomada. 

ALCACHOFRA

Rica em ferro, favorece aos anêmicos. Regulariza as funções do fígado, ajudando na cura de hepatite e icterícia. É util para os que têm dificuldades para digerir e aproveitar o alimento. A alcachofra é também tônica, abrindo o apetite e regularizando as funções hepáticas.

ALFACE

Fresca e digestiva, a alface combate a insônia. Indicado para irritações da pele, alergias, brotoejas e assaduras, as folhas e talos macerados junto com aveia, na forma de uma "pomada", produzem alívio.

ALHO

É desinfetante, limpa os intestinos e, por ser depurativo, o sangue. Baixa a pressão e é indicado para curar debilidades dos nervos e dos músculos. Pode ser usado em xaropes e chás. O suco cru pode ser misturado à água e usado nos períodos de febre: 3 a 4 dentinhos de alho picados em um copo de água. Duas colheres de sopa dessa  água de alho, de hora em hora, são eficazes em muitos casos de febre, inflamações e pressão alta. É um remédio antigo contra calosidades.

BARDANA

É uma raiz muito conhecida por orientais. É depurativa e alcalinizante.

BERINJELA

Muito rica em cálcio, é indicada para combater o raquitismo. O suco cru, junto ao de cenoura, pode ser usado em caso de fraturas e deficiências de calcio.

BRÓCOLI

Muito rico em vitamina C, ferro, magnésio, calcio e outros minerais, tem sido indicado para problemas de câncer no trato digestivo, como prevenção. Pesquisas recentes nos EUA confirmaram as propriedades anticancerígenas dessa planta.

CEBOLA

Vermífuga, germicida, combate a formação de tumores, pois fortalece o sistema imunológico. É usada em casos de gripos e tosses e para infecções em geral. Seu suco combate a frieira.

CENOURA

Mineralizadora por excelência, rica em cálcio e propriedades curativas, o seu suco pode ser usado como reforço alimentar nos estados de debilidade e deficiência de cálcio. Cozida, a cenoura pode ser usada em caso de diarréia. Por possuir beta-caroteno (precursor da vitamina A) é recomendada para fortalecer os olhos.

COUVE

Possuium elemento especial que atua nas úlceras do estômago. Riquíssima em C e ferro, é alimento anticancerígeno e protetor contra virus.

COUVE-FLOR

Rica em magnésio, potássio, silício e manganês, é mineralizadora, servindo também para favorecer o sistema nervoso.

CHICÓRIA, ALMEIRÃO, ESCAROLA

São alimentos para os que possuem a digestão lenta por problemas nervosos. Utilizados para descongestionar o fígado e combater a prisão de ventre. Digestivas, nutritivas e apetitosas, as saladas amargas não deveriam faltar no cardápio da semana.

CHUCHU

São calmantes e refrescantes. Muito útil em casos se obesidade, pressão alta e debilidade do estômago. As folhas tenras e o broto do chuchuzeiro podem ser usados também em saladas. O fruto é muito útil no combate à obesidade, pressão alta e debilidade estomacal.

ESPINAFRE

Muito rico em ferro, vitaminas A e C, e complexos de vitamina B. Purês e saladas de espinafre são muito benéficos para as crianças. Atua no combate à anemia e promove o crescimento. É contra-indicado cru (sem escaldar) para os que sofrem de gota, rins, cálculos da vesícula e úlceras no estômago e duodeno.

PEPINO

Refrescante e diurético pode ser usado com a casca. Para uso externo, os emplastos frio s de pepino macerado refrescam e aliviam coceiras e irritações. Pepino e alface juntos, batidos no liquidificador com aveia até ficar na consistência de pomada, são muito úteis para aliviar irritações da pele, brotoejas, assaduras e queimaduras leves de sol.

QUIABO

É fortificante e atua no combate à prisão de ventre. Sua mucilagem (baba) é cicatrizante e pode ser usada também em queimaduras leves.

RÚCULA

Hortaliça de sabor picante, é estimulante e, por suas propriedades antiinflamatórias, dizem que fortalece os glóbulos brancos. Por essa razão é a verdura dos convalescentes e dos que sofreram infecções.

RABANETE

É util a anêmicos e aos que sofrem de pressão baixa. Rico em ferro, fósforo, vitamina C e outros elementos reconstituintes e antibióticos.

TOMATE

É muito útil aos que padecem de transtornos nervosos e glandulares. É rico em iodo, arsênico, zinco e vitaminas A, B e C. É tônico, digestivo, abre o apetite, fortalece o sistema nervoso. Fonte: Saúde pelas Plantas, por Elisa Biazzi.

Finalizando:

"O método pelo qual a Natureza executa seu processo de purificação, fortalecimento, regeneração e reconstrução através de alimentos apropriados, é um processo normal e não um milagre. Frutas , Hortaliças frescas são rica fonte de minerais orgânicos e vitaminas, e a presença destes fatores vitais nos alimentos, torna-os de fato alimento superior."

INICIANDO UMA HORTAADUBAÇÃOCOMPOSTO RÁPIDOSEMEADURAMANEJOPRAGASCUIDADOS COM A TERRACALENDÁRIO HORTÍCULAHORTA & SAÚDE


Comments