Os Cotrim de Mogi Mirim

Mogi Mirim (ou Moji Mirim), municipio de Estado de São Paulo foi fundada pelos membros da Bandeira que passavam à caminho de pedras preciosas, ouro e prata em Minas Gerais e Goiás. D

esconhecem-se a data de fundação e os nomes dos fundadores de Mogi Mirim. É de se supor que as primeiras habitações - pouco mais do que choupanas - tenham sido construídas ou nos últimos anos do século XVII ou, o que é mais possível, no início do século XVIII.

João Mendes Júnior preferiu situar entre 1719 e 1721 o começo do núcleo do arraial de Mogi Mirim (nome que, na língua Tupi, bastante usada pelos bandeirantes - assim como o português - tem, como interpretação mais aceita, a de 'Pequeno Rio das Cobras'.

Entre os primeiros moradores, consta José Grojão Cotrim (posteriormente, nos descendentes deste, o sobrenome Grojão foi alterado para Gurjão) , filho de Ignacio da Silva Grujão Cotrim e neto de Izabel Cotrim, ambos portugueses.

Segue abaixo o relato referente à pesença destes Cotrim em Mogi.


Às fls 16 e 18 do livro de autoria do Sr.Lauro Monteiro de Carvalho e Silva, publicado pela Casa Cardona, em 1960, com o título de "Moji Mirim"(subsídios para sua história) encontramos a primeira menção aos Grojão Cotrim, posteriormente vieram a assinar como Gurjão Cotrim.
          Atentemos para nota 18: "Foi dos primeiros povoadores de Moji Mirim, onde figura como morador desde os mais antigos assentamentos. Era licenciado, isto é, podia procurar perante as justiças. José Grojão Cotrim e outros seus irmãos, que vieram a Moji, eram filhos de Inácio da Silva Grojão, natural de Lisboa, e de Maria Ribeiro da Silva, natural de Itu, netos pela parte paterna de Manuel da Silva Ribeiro, natural de Torres Vedras, e de Isabel Maria Cotrim, natural de Lisboa, e pela materna do capitão Baltazar de Godoi da Silva, natural de São Paulo, e de Isabel Proença de Abreu , natural de Sorocaba. Casou-se nesta cidade em 03/06/1765 com Genebra Maria da Anunciação , filha legítima de Manuel Pinto Barbosa e de Francisca Dias Cardoso.Na Nobiliarquia Paulistana, de Pedro Taques, pág 343 e 383, encontra-se a genealogia do capitão Baltasar de Godoi da Silva. José Grojão exerceu vários cargos de governança e deixou numerosa descendência , que, com o correr do tempo alterou o apelido Grojão em Gurjão.Confira-se o livro 1º de casamentos de Moji Mirim, fols 56."

Assim como, volta a surgir no "Almanach de Campinas"(1901)como Diretor fundadora da "Estrada de Ferro Mogyana", inaugurada em 21/03/1872, votada pela Assembléia Provincial paulista, de uma linha partindo de Campinas até Mogy Mirim até as margens do Rio Grande, limite com estado de Minas Geraes"
Comments