Origens‎ > ‎

Os Cotrim de Portugal

Este site sempre se propos a falar apenas dos Cotrim do Brasil. Sabemos que os Cotrim brasileiros vieram de Portugal mas todos querem saber mais sobre as origens. Embora não sejamos genealogistas conseguimos um material muito bom vindo de Portugal e que fala sobre a origem dos Cotrim desde 1400. Trata-se de um artigo publicados na revista "O Archeologo Portugues" (*) e que cita as mais diversas fontes portuguesas que falam sobre a origem os Cotrins em Portugal. Assim, para saciar a curiosidade histórica de alguns, estamos colocando abaixo um resumo do que lá está publicado.  

O artigo "A vila e concelho de Ferreira do Zezere" entre outras coisas fala sobre "Família ilustres do concelho" e começa citando justamente a Família Cotrim. Lá ficamos sabendo que a primeira referencia de um Cotrim aparece na Cronica de Fernão Lopes onde, em Évora no ano de 1384, entre os partidários dos Mestre de Aviz aparece um tal Martim Cotrim.

A partir daí a revista exibe uma numerosa relação de citações esparsas de Cotrim em documentos portugueses mas estas citações não mostram quem era parente de quem. São apenas trechos de documentos no decorrer dos anos de 1400 em diante até 1600, onde algum Cotrim é citado.

A seguir a revista menciona algumas genealogias. 

A primeira citada é a de Manso de Lima (que pela sua vizinhança, alguma coisa devia saber, pois viveu na Certã"). Começa com 

1. Pedro Luis Cotrim, filho de ... viveu na vila de Figueiró dos Vinhos, onde casou com Madalena Gil da qual se fez inventário no juízo dos órfãos da mesma vila no ano de 1491, sendo juiz dos órfãos Diogo Martins e escrivão Lopo Rodrigues de Magalhães e teve:
   2. Pedro Luis Cotrim, que segue
   3.Marcos Luis Cotrim
   4.Luís Dias Cotrim
   5.Inês Cotrim
   ......

Seguem-se outros nomes que vão até Antonio Cotrim, que viveu no Casal da Mata, termo da vila de Dornes, em1607. Esta seria a chamada linha masculina. A linha feminina é revelada no seu livro "Genealogias", quando trata da família Vasconcelos.

Lá aparece Filipe Mendes de Vasconcelos que se casou com Inês Anes em 1529 e teve 9 filhos, entre eles Filipe Mendes de Vasconcelos (mesmo nome do pai) que se casou com Ana Dias Cotrim, filha Diogo Fernandes e Catarina Lopes Cotrim, esta filha de Lopo Martins Canas Cotrim. Todos estes nomes aparecem na nossa árvore.

A lista de nomes é grande e não cabe colocar aqui. No entanto cabe destacar que Filipe e Ana tiveram vários filhos, entre eles Luis Cotrim de Souza e Vasconcelos. Luis casou-se com Maria Caldeira e teve vários filhos, entre eles Ana Cotrim. Esta casou-se com Antonio Mendes e teve Manuel Cotrim de Vasconcelos que se casou com Maria Mendes Cotrim, pai do desembargador Mendes Cotrim que foi juiz da ìndia e Mina.

Neste ponto, a informação antiga que tinhamos (e que está na árvore) de que Manuel Cotrim havia se casado com Maria Francisca Gaspar e tido um filho de nome Salvador Cotrim, não procede. Esta informação foi colhida há anos entre genealogistas portugueses e daria Salvador como o grande antepassado dos Cotrim do Rio de Janeiro. Este é um ponto a ser estudado pois, como veremos mais à frente, nenhuma das genealogias confirma que este Salvador fosse deste ramo.

A segunda genealogia citada é "Famílias de Portugal", de Manuel de Carvalho de Ataíde que cita Ruy Cotrim e Martim Cotrim, dois fidalgos naturais de èvora, filhos de Álvaro Mendes de Oliveira. Cita também a origem do nome Cotrim como sendo da moeda italiana, quatrino. E muito não vai além.

A terceira é o "Nobiliário" de Diogo Rangel de Macedo que cita a possibilidade de origem inglesa ou italiana além de mencionar alguns Cotrins

A quarta é o "Livro das famílias nobres em Portugal", escrito em 1719 por Bernardo Pimenta do Avelar Portocarrero (que foi capitão-mor de Tomar). O livro pode ser consultado na Torre do Tombo, em Portugal.








continuaremos em breve...........


(*)

O Archeólogo Português

, Volumes 20-21 (publicada pelo Museu Ethnographico Portugues, 1915)