O VINHO

 
O QUE É O VINHO

Do ponto de vista técnico-legal, o vinho é a bebida resultante da fermentação alcoólica, total ou parcial, de uvas frescas ou do seu sumo, segundo processos tecnológicos apropriados.
Estreitamente ligadas aos vinhos estão as aguardentes de origem vínica, bebidas de mais elevada graduação alcoólica, provenientes, conforme os casos, da destilação dos vinhos ou dos bagaços da uva. Como resultado dos diferentes processos tecnológicos empregados no seu fabrico, os vinhos apresentam por vezes características profundamente diversas, pelo que se podem repartir por vários tipos ou classes. dentro do mesmo tipo ou classe, as características podem também variar segundo as castas de uvas empregadas e a natureza do clima e do solo em que se situam as vinhas.
-De entre os vários elementos que contribuem para a caracterização e identificação dos produtos vínicos tem lugar de destaque o conjunto misto de factores, naturais e humanos, constituído por clima, solo, castas, processos de cultura e vinificação, ou seja, aquilo que na essência justifica o reconhecimento internacional de certas denominações de origem porque são conhecidos os principais vinhos e aguardentes de alguns países.
As denominações de origem regulamentada estão em Portugal ligadas a regiões legalmente demarcadas. Mas o carácter regional dos produtos vínicos estende-se para além daqueles que beneficiam de uma denominação de origem regulamentada. A indicação de proveniência reveste-se, assim de grande importância, pelo que em muitos países é usualmente indicada nos rótulos dos diversos vinhos engarrafados.
As características e o valor dos vinhos podem também variar de ano para ano.

HISTÓRIA DO VINHO
 


Não se sabe ao certo quando surgiu o vinho em Portugal, Admitindo-se que tenham sido os fenícios os primeiros a aqui cultivar a vinha.
-A cultura da vinha em Portugal, pelas condições de solo e clima aliados à existência de diferentes castas em cada região, permite permite a produção de vinhos de qualidade e com manifesta tipicidade.
-A cultura da vinha em Portugal.Desde há muito constatado tal facto, levou a que diversas regiões vitivinícolas tivessem sido estruturadas de modo a permitir uma regulamentação conveniente na produção e comércio dos vinhos de qualidade.
-É neste aspecto importante salientar que Portugal foi dos primeiros, se não mesmo o primeiro país do mundo vitícola, a estabelecer e regulamentar uma região demarcada, a região do Douro, por alvará régio de 1756. Mais tarde, por carta de lei de 1907 - 1908, foi dado início ao processo de demarcação e regulamentação das regiões dos vinhos Verdes, Dão, Colares, Carcavelos, Bucelas , Moscatel de Setúbal,e Madeira para além da região do Douro, que actualmente contempla as denominações de origem Porto e Douro.
Posteriormente, e apenas em 1979, foi reconhecida a região da Bairrada.
Em 1980 foi reconhecida a denominação Algarve ( mais tarde regulamentada) 1990,e substituída por quatro denominações: Lagoa, Lagos, Portimão e Lavra tendo-se procedido então à sua demarcação.
-Em 1986 foram reconhecidas as primeiras regiões do Alentejo - Borba, Redondo, Reguengos,Portalegre e Vidigueira tendo sido reconhecidas em 1991, Évora Moura, e Granja Amareleja.
Também em 1986 foram reconhecidas, como denominações de origens correspondentes aos vinhos de qualidade produzidos em zonas vitícolas de interesse, as seguintes regiões: Chaves, Planalto Mirandês, Valpaços, Castelo Rodrigo,Pinhel, Cova da Beira, Encostas de Nave, Varosa, Lafões, Alcobaça, Encostas de Aire, Óbidos, Arrábida, Palmela, Almeirim, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Santarém, Tomar, Alenquer, Arruda e Torres Vedras.
-Em 1994 obtiveram reconhecimento de denominação Biscoito, Graciosa e Pico.

 

CLASSIFICAÇÃO DOS VINHOS

 

 

CONHECER OS DIFERENTES TIPOS DE VINHO
Num pequeno país como é Portugal, existe uma extraordinária variedade de clima, solos, e castas, que dão origem aos mais diversos tipos de vinho.
A classificação dos produtos vínicos pode ser feita sob vários aspectos, parecendo-me de interesse, do ponto de vista gastronómico, a que os separa em:
-Vinhos generosos e licorosos
-Vinhos doces de mesa brancos e rosés
-Vinhos comuns ou de mesa brancos e tintos
-Vinhos espumantes e espumosos.




(imagem retirada da Internet )



CASTAS
 
CABERNET
SAUVIGNON
É uma variedade originária da região de Bordeaux, França. O cacho é de tamanho pequeno a médio e as bagas são pequenas. O vinho possui estrutura tânica e coloração intensa quando a uva é madura.
Geralmente, o Cabernet Sauvignon combina bem com a fermentação e o envelhecimento em barrica de carvalho. Se for elaborado com uva não suficientemente madura apresenta certa dureza e às vezes é agressivo. Entretanto, quando a uva é madura ele tem cor intensa, é potente e complexo. É um dos vinhos nobres da vitivinicultura.
 
MERLOT
É uma uva também originária da região de Boerdeaux. Possui cacho geralmente alado de tamanho médio e os bagos são pequenos.
Quando elaborado com uva madura, seu vinho é redondo, aveludado,potente, rico em àlcool e de coloração intensa. Devido à sua constituição fenólica, pode ser fermentado e amadurecido em barrica de carvalho. É um vinho que pode ser consumido puro ou cortado com outros varietais, principalmente, com Cabernet Sauvignon.
 
CHARDONNAY
A Chardonnay é uma variedade que tem a sua origem na Borgonha, França. Os cachos e as bagas são pequenas.Apresenta bem potencial para produção de açucar, mas conservando sua acidez. O vinho Cardonnay é potente, tem bom volume de boca e pode apresentar  grande complexidade aromática. O Chardonnay geralmente é jovem e fresco, mas apresenta composição que favorece a fermentação em barrica de carvalho. Sua característica pode ser diferente, dependendo do método de fermentação utilizado.
 
 
Subpáginas (1) CLASSIFICAÇÃO DO VINHO
Comments