Artigos‎ > ‎

A Balisong

A palavra Balisong é um termo do dialeto Tagalog das Filipinas que significa “chifre quebrado”. É uma faca dobrável originária das Filipinas. Segundo historiadores, essa arma teria surgido na província de Batangas, na cidade Barrio Balisung, localizada ao sul da capital Manila.

É uma das armas orientais mais conhecidas. Muitos autores norte-americanos referem-se a ela como “o Nunchaku dos anos 80”, pois a sua fama naquela época foi tão grande quanto a do Nunchaku durante a década de 70.

A técnica de manuseio da Balison tem a sua origem na dradição guerreira Malaio-polinésia que permitiu o desenvolvimento da arte marcial filipinia chamada kali, também conhecida como Arnis de Mano ou Escrima. Essa luta é famosa por suas técnicas muito eficiente de combate com bastões e facas.

O simbolismo da Balisong tem a sua origem no conceito de mutação característico do pensamento taoísta e da filosofia védica (gunas). É uma arma que representa a eterna mudança. Quando fechada, ela representa a paz. Quando aberta, caracteriza o conflito. Segundo os velhos mestre filipinos, a paz e a guerra estão presentes em toda existência como forças motrizes da grandes transformações. Conforme diriam Heráclito de Éfeso, e os taoístas chineses, nada é estático, tudo muda. A exemplo do taoísmo, os praticantes de artes marciais filipinas acreditam na existência de um fluxo universal que deu origem a todas as formas de vida. 

Além de ser uma arma extremamente versátil, a Balisong representa a luta do povo filipino para preservar a sua identidade cultural, construída ao longo dos séculos. É um símbolo da resistência popular contra os invasores estrangeiros (espanhóis, americanos e japoneses) que tentaram dominar as Filipinas desde a época das Grandes Navegações.


1. Os créditos do artigo são de Paulo Burgos