Adorável Google

"Não seja mal(uvido), nem ingênuo - não crie 'googlers' para combate-lo"

---------- Forwarded message ----------
Subject: "Não seja mal(uvido)".
To: ... Comunicação
Google Brasil <...@google.com>
Cc: ... Comunicação 
Google America Latina <...@google.com>

Adorável Google,
 
Boa tarde.
 
Após inúmeras tentativas de contato (sem sucesso), estou entrando em contato com *seus* _homens de negócio_ (e desejo que eles tenham bom senso), para entender o porque da negligência e da incongruência (atitudes?) de uma das mais desejadas empresas para se trabalhar do século XXI.
 
Embora as idéias enviadas em 99/99/9999 parecessem absurdas à época, elas (maioria) foram adotadas (implementadas, e o pior: ao que parece, alguém está levando os 'louros') - entenda-se receita/lucros/resultados -, e nenhum feed back foi dado. Nem mesmo um "obrigado por nos ajudar a pensar" ou "agradecemos por ser esforçar para economizarmos meio milhão de dólares/mës".
 
Com efeito, manifesto abaixo e através deste, meu sincero *desapontamento* com o "Web Big Player" que, - ironicamente - apregoa: "não seja mau".
 
Ei-lo:

######################################################################

---------- Forwarded message ----------
From: Anaximandro Melo <...@gmail.com>
Date: 99/99/9999 99:99
Subject: Business...
To: <...@google.com>

Olá,

Estou preparando um plano de negócios (viabilidade comercial e técnica) "justificando" a necessidade de um "Google evangelist" na região Nordeste do Brasil, que incluirá desde palestras e roadshow's em universidades (locais mais baratos e inteligentes para se fazer pesquisa) ao fomento do uso da "suite" (Ads/Adw/Anltcs) no âmbito corporativo, através de seminários em centros de tecnologia, associações comerciais, empresariais, CDL's e afins, que lhes apresentarei em breve.

Envio a seguir, o e-mail que mandei em 99/99/9999, com sugestões e idéias para viabilizar a aquisição do YouTube, como um esboço de um anteprojeto para torna-lo "comercializável".

A motivação:

Após ter lido várias matérias sobre a compra do YouTube pelo Google, uma em especial chamou-me a atenção, a da revista Super Interessante (Lost e o fim da TV - Abr/2007):

"...Mas ganhar alguns milhares de dólares com um vídeo caseiro é uma coisa. Investir milhões para buscar bilhões em anúncios é outra. O próprio YouTube, do alto da montanha de dólares que o Google pagou por ele (1,65 bi), ainda é um saco sem fundo, que dá prejuízo de US$ 500 mil todo mês... O buraco da internet é ainda mais embaixo, porque ninguém imaginou até agora um jeito eficiente de fazer dinheiro com os sites de compartilhamento de vídeo..."

Fonte: http://super.abril.com.br/super/conteudo_207887.shtml (página 6, penúltimo parágrafo - visualizável apenas com IE 6.0 e/ou superior :P ).

Então, após pensar (bastante!) na aparente insolúvel situação, resolvi escrever e mandar o texto - com uma pequena mensagem subliminar :) - abaixo para tentar de alguma forma, contribuir para a resolução do problema em questão.

Embora eu não tenha recebido nenhum retorno sobre as sugestões, elas *curiosamente* começaram a ser implementadas pelo YouTube team...

Obs.: é possível constatar a veracidade da data de envio e as informações (antes que elas fossem implementadas no YouTube) através de uma auditoria no Google Doc's (Texts and Spread Sheets - rascunhos que fiz) e no GMail (quando o e-mail foi enviado) e comparar com as datas e melhorias implementadas no YT.


-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx

Detalhes do e-mail enviado disponiveis em:
 
 
YouTube Case - in english.

Caso YouTube - em português.



-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx-----xxxxx
######################################################################
 
 
Após muitos anos implementando e fazendo *malabarismos* com Web 2.0 - ela nem tinha esse nome ainda e nem se falava em AJAX -, decidi ampliar meus conhecimentos estratégicos em Gestão Empresarial (Pós-Graduação) e Gestão Estratégica de Projetos (MBA), de forma que pudesse ter uma visão mais holística sobre negócios.

Enquanto a resposta não vem, uso da paráfrase para expressar o sentimento de um antigo rei europeu (e o meu), que disse ao seu invasor: "... que sua manhã seja linda, que o sol brilhe nas armaduras de seus soldados — porque durante a tarde, eu o derrotarei".

À dispor,
 
Anaximandro Melo
 
 
p.s: Maluvido significa teimoso, que não ouve conselhos.
 

 

ATENÇÃO: Algumas informações importantes foram omitidas para evitar uma nova tentativa de plágio. Todas as informações acima já estão devidamente registradas para assegurar o direito de propriedade intelectual.