Histórico

A V Socialização de Práticas Formativas é uma das ações que compõem o Programa de Formação Permanente dos Profissionais da Educação da DDPM/SEMED que, conforme o Decreto nº. 2.682, de 26 de dezembro de 2013, em seu Art. 39, inciso I diz que à DDPM compete: I Elaborar, implementar, coordenar e avaliar a Política de Educação Continuada do Magistério Municipal”. II. Desenvolver pesquisas, promover e divulgar a produção científica dos profissionais da educação municipal; IV. Definir linhas de ação pedagógica para realização de eventos como seminários, simpósios e fóruns realizados no âmbito da secretaria; Portanto, a Socialização de Práticas Formativas da DDPM vem ao encontro dessas competência.

Fruto das reflexões dos professores nos encontros formativos nasceu a proposta de construção de uma Socialização que pudesse reunir professoras/es, pesquisadoras/es de suas práticas no cotidiano da educação pública. Assim, em novembro de 2015 foi realizada a I Socialização de Práticas Formativas, com o propósito de socializar e valorizar práticas formativas de professores que participaram efetivamente nas formações propostas nas diversas equipes formativas naquele ano. No ano seguinte, em 2016, quando foi realizada a II Socialização de Práticas Formativas, a DDPM deu um salto! Tanto no que diz respeito à participação, quanto à possibilidade de publicação dos trabalhos socializados pelos professores na Revista Eletrônica Mutações, através da parceria UFAM/DDPM/SEMED, implementando assim um espaço formativo para incentivar, acompanhar e contribuir com o professor, na produção científica.

Em 2017, além da DDPM garantir, mais uma vez, a publicação dos trabalhos dos professores da rede pública municipal de Manaus que participaram da III Socialização de Práticas Formativas, cujo exemplar eletrônico da revista está prestes a ser divulgado, o quantitativo de participantes triplicou.

Na edição 2018, 300 trabalhos foram apresentados em formato de comunicação oral (relatos de experiências), exposição de banners e oficinas, além de conferências e rodas de conversa com temas relevantes na área da educação, tendo 1.200 participantes e a publicação dos trabalhos na Revista Eletrônica Mutações.