Escola Básica Júlio Dinis

... informações, atividades, exposições ...

M(u)ral da História ...

Adam Ferguson

20 junho 1723

Foi uma artista plástica polaca, uma das principais representantes da escola polonesa de tapeçaria. Nos seus trabalhos incorpora elementos oriundos das correntes estéticas em voga em especial o uso de têxteis como um meio escultural. “Eu sinto uma afinidade pela arte quando se torna uma forma de existência, como quando os xamãs trabalhavam no território entre homens e poderes desconhecidos, eu tento enfeitiçar a multidão"... (>)

Foi um filósofo iluminista e historiador escocês, apelidado "o pai da sociologia moderna" pela sua contribuição para o desenvolvimento inicial da disciplina. O seu trabalho mais conhecido é o seu Ensaio sobre a História da Sociedade Civil. Ferguson acreditava que a civilização está apoiada em parte sobre leis que restringem a nossa independência como indivíduos, mas fornecem liberdade mantendo a segurança e a justiça ... (>)

  • Como será o próximo ano letivo
  • Sugestões para um verão inesquecível
  • Projeto Eco-Escolas promove sustentabilidade ambiental
  • Sociedade de Matemática: prova de aferição do 5.º ano ficou aquém
  • O que fazer para evitar a inflação das notas

(>)

A Memória da Árvore – Sarau Cultural

4 junho

A nossa escola apresentou no Auditório Municipal, a toda a comunidade, mais uma edição do Sarau Cultural.

Memória da Árvore - Sarau Cultural

Alguns saberão que a este projeto foi atribuída, no ano passado, a distinção “Escola Amiga da Criança”. Este ano, a habitual tarefa de definir o tema estava facilitada… afinal, a escola comemorava os seus 50 anos de existência!

Resolvemos, então, percorrer essas cinco décadas mostrando ou lembrando o que em Gondomar e no mundo se tinha passado de mais importante, aos nossos olhos, evidentemente, sempre com a Escola como pano de fundo…

Foram muitas e muitas semanas de busca de ideias, de leituras, de suspiros, de impropérios, de sorrisos e gargalhadas, de escritas e reescritas… Desde muito cedo, a nossa Gingko Biloba atravessou-se aos nossos olhos e enraizou-se nos nossos corações! A sua resiliência e falta de formosura foram inspiração e mote para "A Memória da Árvore" que, deslumbradas, vimos materializada na espantosa “reconstrução” da autoria da professora Teresa Botelho!

Os perfumados frutos da generosa entrega dos nossos alunos e colegas ficaram registados na máquina fotográfica e nos telemóveis e agarraram-se, resilientemente, à nossa pele…


Professoras Alexandra Saraiva, Fernanda Soares, Teresa Botelho e Zilda França

Filigranar…

12 junho

Os 50 anos de história da Escola Básica Júlio Dinis são, naturalmente, indissociáveis da história do concelho.

Filigrana

Boa parte da história de Gondomar nasce da relação estabelecida entre Homem – Oficina – Ouro. A Filigrana, de produção artesanal, praticada em oficinas de pequena escala e de cariz familiar, é o campo privilegiado da Ourivesaria gondomarense.

Num tempo em que a técnica minuciosa de trabalhar metais preciosos já quase não é passada de geração em geração, torna-se importante que os mais novos ouçam os testemunhos dos mais velhos e com eles aprendam mais sobre a tradição da terra em que vivem.

Se filigranar é a arte de construir peças de ourivesaria através do entrelaçamento delicado, mas complexo, de fios de ouro e de prata, os nossos alunos fizeram-no maravilhosamente ao entrelaçar outros materiais e processos igualmente preciosos como as palavras e a criatividade.


Grupos de Português e Ed. Visual - 3º Ciclo


Concurso de Poesia - Final

12 junho

Partindo do princípio do PORTUGALSLAM de que “as nossas palavras juntas tornam o sonho possível, a realização do sonho torna-se tão mais próxima quando o “nós” inclui as palavras das crianças/jovens.

Por isso, parabéns à Ana Maria Silva, aluna do 7º ano de escolaridade, da turma A, que venceu o Poetry Slam da Escola Básica Júlio Dinis, em Gondomar.

Uma vez mais, os duzentos lugares sentados do Auditório da escola foram insuficientes para receber todos os que quiseram partilhar a fase final deste concurso e, de forma entusiasta, ouvir da boca dos próprios a passagem da palavra escrita à palavra dita.

Ficamos certos de que para o próximo ano letivo, esta iniciativa terá ainda mais inscritos e participantes…

3… 2… 1… SLAM!!!





Grupo de Português, 3º Ciclo

Há 50 anos, o mundo celebrava a chegada o Homem à Lua ... e nascia a Escola Básica Júlio Dinis.

Eis algumas fotografias da missão Apollo 11, diretamente dos arquivos da NASA para a sala "Laboratório 1" da Escola Básica Júlio Dinis ... (>)


Professores de Físico-Química

Ler (literatura) com a BE

11 junho

Exposição dos trabalhos realizados pelos alunos das várias escolas do Agrupamento de Escolas Júlio Dinis, Gondomar, decorrentes da atividade “Ler (literatura) com a BE”, inserida no projeto “aLer+ para Ser + Leitor”.

Ler (literatura) com a BE - Expo

Com o propósito de desenvolver o gosto de ler, valorizar a leitura integral das obras literárias, promover a leitura em vários formatos e em vários suportes, desenvolver o uso das novas tecnologias e formar leitores críticos e competentes, as professoras bibliotecárias promoveram a leitura de obras literárias integrais em todas as turmas do 1º Ciclo.

Neste âmbito foram desenvolvidas atividades, com vista à compreensão da mensagem, recorrendo a tarefas lúdicas, à gamificação ou às novas tecnologias.

Obras selecionadas:

1º ano
Corre, corre cabacinha
Alice Vieira
2º ano
A Girafa que comia estrelas
José Eduardo Agualusa
3º ano
O senhor do seu nariz e outras histórias
Álvaro Magalhães
4º ano
A maior flor do mundo
José Saramago
As professoras bibliotecárias: Maria Bonifácia; Rita Cordeiro

Preocupações ecológicas ...

Preocupações ecológicas
10 junho

Trabalhos realizados pelos alunos da turma 5º J, no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento.

As temáticas que os alunos abordaram relacionam-se com as prementes preocupações ecológicas atuais: alterações climáticas; sustentabilidade da água; poluição dos oceanos; consumo energético excessivo; desflorestação e a diminuição da biodiversidade.


Professora Elisabete Santos

À semelhança dos anos anteriores, mais uma vez a Matemática provou não ser um "monstro" para todos os nossos alunos!

Na 1ª Fase – eliminatória a nível de escola – ficaram apurados os seguintes alunos:

  • 5º ano: Leonor Rodrigues dos Santos / Ana Filipa Sousa Pinto
  • 6º ano: Pedro Duarte Miranda / Andreia Fontes
  • 7º ano: Pedro Rosário / Rui Martins
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Posteriormente, já na Fase Final, o aluno Pedro Rosário do 7ºH, como um dos elementos do "TOP 10" a nível regional – Zona Norte – foi galardoado com o 1º Prémio.

Esta cerimónia teve lugar no Instituto Superior de Engenharia do Porto, no passado dia 1 de Junho, às 14:30 H.

Este é um galardão que muito nos honra acolher na nossa Escola!

O Pedro está de parabéns e os “maths lovers” também!



Os Professores de Matemática

Semaine de la Culture Française

Semaine Culture Francaise 2019.pdf

11 - 14 juin

Na semana de 11 a 14 de junho, o grupo disciplinar de Francês convida os alunos e restante comunidade escolar a participar na "Semaine de la Culture Française".

Nestes dias, os alunos e os professores terão a oportunidade de conhecer mais sobre a música e o cinema francófonos.

O dia 13 será dedicado à gastronomia, com uma pequena prova de produtos franceses na sala dos professores e com um "Déjeuner Français", na cantina escolar, composto por: "Soupe de légumes (poireau et courgette)", "Poulet aux champignons" e "Pudding". No final do dia, a professora Lucinda Ramos, de Ciências Físico-Químicas, irá desenvolver um workshop de culinária, para partilhar com os participantes a sua receita de bolachas "Petit beurre".

Finalmente, no dia 14, na Festa de Final de Ano, o grupo continuará a dinamizar a confeção e venda de crepes, na banca "Chez Júlio Dinis".

A Biblioteca Escolar associou-se a esta atividade, organizando um pequeno "Coin francophone", com a divulgação de alguns recursos em língua francesa.

Professoras de Francês, 3º Ciclo

Portugal do Séc. XIX – Aspetos da vida social e política na obra de Júlio Dinis

7 junho

No âmbito da celebração dos 50 anos da Escola Básica Júlio Dinis, as professoras bibliotecárias estabeleceram uma parceria com o Museu Júlio Dinis - Uma Casa Ovarense e convidam toda a comunidade educativa a visitar a exposição "O Portugal do séc. XIX – aspetos da vida social e política na obra de Júlio Dinis", patente no átrio em frente à biblioteca.

Portugal Séc XIX - Júlio Dinis
As professoras bibliotecárias: Maria Bonifácia e Rita Cordeiro

1 de Junho - Dia da Criança

É reconhecido em vários países com o objetivo de homenagear as crianças. Assinalou-se pela primeira vez em 1950 por iniciativa das Nações Unidas, com o objetivo de chamar a atenção para os problemas que as crianças então enfrentavam ...

Todas as crianças, independentemente da raça, cor, religião, origem social, país de origem, têm direito a afeto, amor e compreensão, alimentação adequada, cuidados médicos, educação gratuita, proteção contra todas as formas de exploração e a crescer num clima de paz e fraternidade.

A ONU reconhece o dia 20 de novembro como o Dia Mundial da Criança, por ser a data em que foi aprovada a Declaração Universal dos Direitos da Criança em 1959 e a Convenção dos Direitos da Criança em 1989. Em Portugal esta comemoração acontece no dia 1 de junho ... (>)


A nossa Terra... o nosso Mar... a nossa Escola...

22 maio

É este o Mundo que queres? - A escolha é tua ...

Os alunos do projeto "Minha escola, meu amor" idealizaram e executaram uma Campanha de Sensibilização sobre a limpeza e higiene na escola, apelando ao uso de atitudes corretas em relação à deposição do lixo nos recipientes adequados.

Assim, no dia 17 de maio percorreram as turmas da manhã e no dia 22 as turmas da tarde, apresentando a sua mensagem que foi muito bem recebida por todas as turmas.

Esta campanha pretende ser um passo para uma caminhada que temos de fazer, em conjunto, diariamente ... (>)


Prof. Olinda Moura
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

No dia 10 de maio, os alunos do 6º ano visitaram o palácio e a biblioteca do Palácio Nacional de Mafra.

Cinco autocarros com 248 alunos e 21 professores partiram de manhã cedo com destino a Mafra.

Nesse dia, os alunos consolidaram conhecimentos adquiridos nas aulas de HGP. Foi também um dia de convívio entre as várias turmas. O jardim do Cerco foi o local do piquenique para a maioria das turmas, no entanto devido às condições atmosféricas, outras utilizaram o espaço do claustro para retemperarem forças.

Mais uma visita de estudo que permanecerá na memória de todos os que participaram.

Desafio:

Experimenta testar os teus conhecimentos respondendo ao questionário que se encontra nesta página (>)


Minha escola, meu amor ... sem lixo

7 maio

Os alunos que participam no projeto “Minha escola,meu amor”, em parceria com o projeto “Geração+” da LIPOR e a Câmara Municipal de Gondomar, estão a construir pontos de reciclagem e separação de lixo na escola, reutilizando material usado: amarelo para plástico e embalagens e preto para lixo biodegradável (cascas de fruta, restos de comida, etc.)

Assim, com estes recipientes, as gaivotas que nos “visitam” já não conseguem virar os caixotes e espalhar o lixo.

Posteriormente, o lixo acumulado será recolhido e pesado pelos funcionários da CMG e, de acordo com o seu peso, será atribuída à escola uma pontuação que se converterá em apoio material para o desenvolvimento de atividades pedagógicas com os alunos.

Depois de criados os “pontos de recolha” será realizada uma Campanha de Sensibilização para que os alunos colaborem neste projeto e coloquem o lixo no lugar adequado.

Quando todos colaboram, a escola ganha vida.


Uma viagem ao fundo do mar

Maio de 2019

Numa bela tarde de Verão, uma menina chamada Clara, bonita, de cabelos castanhos, curtos e lisos, de rosto redondo e rosado e olhos negros como duas azeitonas, que adorava o mar e tudo que com ele se relacionasse, decidiu pegar na sua cana de pesca, meter-se num barquinho a remos e fazer-se ao mar.

Já longe da costa, enquanto pescava, viu surgir à superfície, diante dela, uma estrela-do-mar e ficou estupefacta a olhar para aquele ser marinho de olhos grandes, brilhantes e um sorriso tão feliz que, imediatamente, lhe inspirou confiança.

Mais espantada ficou a menina quando ouviu a estrela a dizer-lhe:

- Olá! Eu sou a Amarelinha. Quem és tu?

- Eu sou a Clara. - respondeu-lhe a menina, com firmeza e coragem – Onde vives? Como é que apareceste aqui? Como sabes falar a minha língua?

- Tem calma, já te respondo a tudo isso. Vivo no fundo do mar, senti que estava alguém à superfície, porque vi o anzol da tua cana a brilhar e sei falar a tua língua, porque há muitos anos que observo e ouço seres humanos que gostam de vir pescar para aqui. – e a estrela continuou – Para além disso, tenho poderes mágicos…

A menina, mal ouviu isto, perguntou, ansiosa:

- Poderes mágicos!? E podes utilizá-los com outros seres, ou só contigo?

- Posso utilizá-los como muito bem entender, mas só o faço com pessoas de quem gosto e em quem posso confiar. Porque me perguntas isso?

- Porque eu tenho o sonho de conhecer o fundo do mar e tudo o que lá existe, mas não o posso fazer porque, como sabes, eu não consigo respirar dentro de água como os peixes – respondeu, tristemente, a menina.

- Então, prepara-te, porque eu vou concretizar o teu sonho.

Livro aberto - Português - 6.º Ano

E, dito isto, ofereceu-lhe um cálice que continha um líquido azulado e transparente, dizendo-lhe para ela o beber, pois era uma poção mágica que a ia ajudar a respirar dentro de água sem se afogar.

Ouvindo isto, Clara não hesitou, bebeu o líquido de um só trago e imediatamente mergulhou no mar seguindo a estrela.

Nadaram durante algum tempo e, quando chegaram ao fundo do mar, Clara ficou deslumbrada com as cores claras e luminosas de tudo o que via e nem conseguia acreditar em tanta beleza: peixes multicolores, corais magníficos exibindo cores maravilhosas, variadas rochas com formas estranhas, algas raras e belas e uma areia finíssima e brilhante. A água era transparente e fresca.

Ao fim de algum tempo, a estrela avisou Clara que estava na hora de emergir, pois o efeito da poção estava a terminar e a menina corria o risco de se afogar.

E assim fizeram. Começaram a nadar em direção à superfície e depois de entrar para o seu pequeno barco, Clara agradeceu à Amarelinha por lhe ter proporcionado aquela viagem magnífica ao fundo do mar.

E despediram-se com a promessa de voltarem, um dia, a repetir uma aventura semelhante.

6º K - Texto coletivo


Prof. Olinda Moura

26 abril

Os alunos apurados na 2ª fase do CNL (concelhia) da Área Metropolitana do Porto participaram na 3ª fase (intermunicipal), que decorreu no Forum da Maia.

Obras selecionadas:


25 de Abril de 1974 - 45 anos depois ...

Exposição no átrio da Biblioteca da nossa escola dinamizada pelos alunos e professoras das disciplinas de História, Ed. Visual e do Clube “Labirintus” ... (>)

Recordar abril é preciso.

  • É preciso que os nossos jovens saibam que foi com a Revolução de Abril que se quebrou o “lápis azul” e o fim da censura, abrindo-se, assim, o maior período de liberdade de expressão da História Portuguesa.
  • É preciso que os nossos jovens conheçam os rostos de quem esteve à frente da revolução, o que os jornais publicaram, a poesia de intervenção.
  • Precisam de saber que a revolução de abril permitiu que houvesse uma mulher portuguesa a desempenhar a função de primeiro-ministro - Maria de Lurdes Pintassilgo.

Esse povo rejubilou há 45 anos com a Revolução de Abril. Esse povo agradeceu na rua aos militares que a fizeram. Com cravos. Com sorrisos.

É preciso que Abril se cumpra!

Fátima Pinto / Helena Cardoso

Dia da Terra

22 de abril

Este ano o mote do Dia da Terra é o da necessidade de protegermos as nossas espécies...

“Se não agirmos agora, a extinção pode ser o legado mais duradouro da humanidade”

A situação ambiental no nosso planeta tem vindo a alterar-se de forma alarmante desde 1970, ano em que o Dia da Terra começou a ser celebrado.

  • 40% dos animais do nosso planeta desapareceram desde aquele ano
  • as populações de insetos e de animais de água doce diminuíram 75%

Segundo a associação "Zero", o nosso planeta enfrenta a maior taxa de extinção desde que perdemos os dinossauros, há mais de 60 milhões de anos e a responsabilidade pela diminuição da biodiversidade recai sobre as atividades humanas...

  • alterações climáticas
  • desmatamento
  • destruição de habitat
  • tráfico e caça furtiva
  • agricultura insustentável
  • poluição
  • uso de pesticidas


"Estima-se que todos os dias desaparecem da Terra entre 150 e 200 espécies da flora e da fauna, ritmo mil vezes maior do que o da extinção natural"

El País