A superestrutura da dívida

Financeirização, classes e democracia no Brasil neoliberal

Como pelo o toque de uma varinha de condão, [a dívida pública] dota dinheiro improdutivo com o poder de criação e assim o transforma em capital, sem forçá-lo a expor-se às dificuldades e riscos inseparáveis do seu emprego na indústria ou mesmo na usura. Os credores do estado nada concedem de fato, pois a soma emprestada é transformada em títulos públicos, facilmente negociáveis, que continuam funcionando em suas mãos exatamente como funcionaria o dinheiro vivo. (Karl Marx)


ISBN: 978-85-7939-468-3

A edição da obra contou com apoio do CNPq por meio da chamada universal MCTI/CNPq n. 14/2014.

Imagem da capa: A march to the bank, de James Gillray (1787). Cortesia de Anne S. K. Brown Military Collection, Biblioteca da Universidade Brown.