Acupuntura Médica

O que é acupuntura? — Originária da China, a acupuntura é um método terapêutico que se caracteriza pela inserção de agulhas na superfície corporal, para tratar doenças e promover a saúde. Ela é reconhecida como especialidade médica desde 1995, pelo Conselho Federal de Medicina.

Como é feito o atendimento? — Na acupuntura médica, o atendimento vai muito além do que simplesmente “inserir agulhas no corpo do paciente”. Essa é apenas uma das etapas de uma série de procedimentos que obedece à mesma sequência de qualquer outra consulta médica. Assim sendo, durante a anamnese, a história do paciente e suas queixas são ouvidas e anotadas. A seguir, é realizado um exame físico e, quando necessários, são solicitados e interpretados exames complementares. Isso permite ao médico a elaboração de um diagnóstico clínico. A partir deste diagnóstico é que o médico decide se a Acupuntura é indicada para aquela situação clínica e se há a necessidade de prescrever alguma medicação, bem como associar outra forma complementar de tratamento. Finalmente, o médico estabelece um prognóstico, informando ao paciente sobre as possibilidades de sucesso do tratamento empreendido e, caso haja, de suas limitações. Eventualmente, se necessário, ele encaminha o paciente a outro colega médico, para uma avaliação ou mesmo para dar continuidade ao tratamento.

Os recursos da Medicina Tradicional Chinesa — A acupuntura médica reúne vários métodos de tratamento de doenças e promoção de saúde, usados há mais de cinco mil anos no oriente. A técnica da acupuntura apropriadamente dita se baseia na inserção de agulhas nos chamados acupontos, que correspondem a áreas de concentração do Qi (conceito próximo ao de energia vital). Esta energia circula no organismo, com padrões cronobiológicos bem definidos, por meio de canais principais de energia, cada um destes canais denominado com o nome de um órgão humano, e relacionado a funções energéticas. A inserção de agulhas ou a aplicação de moxa nos pontos apropriados permite a correção do desvio da energia vital ou sua preservação, o que previne futuras doenças.

Desde a década de 70, a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem estimulado estudos para avaliação dos efeitos terapêuticos e segurança da acupuntura. Além disso, promove sua difusão no mundo ocidental, com vistas a sua aplicação na rede primária à saúde. Com isso, foi reconhecida, desde então, a mínima incidência de efeitos colaterais e as indicações desta técnica milenar sobre os tratamentos convencionais frente a determinados agravos à saúde, como as dores decorrentes de traumatismos musculoesqueléticos, cefaleias, dores lombares, algias pélvicas, odontalgias pós-operatórias, náuseas e vômitos gravídicas ou pós-tratamento quimioterápico e radioterápico, entre outros. A produção científica tem crescido vertiginosamente nos últimos dez anos, e sempre confirmou seus resultados positivos. O conhecimento do mecanismo de ação da acupuntura no controle da dor foi um dos que mais avançou.

As técnicas mais recentes de imagem têm contribuído para o esclarecimento dos mecanismos de ação da acupuntura, mostrando a existência de relação entre o estímulo das agulhas realizado no corpo somático com áreas corticais cerebrais específicas, abrangendo desde aspectos psíquicos e emocionais a problemas osteomusculares e de dores crônicas. De fato, estudos comprovaram que a técnica age por intermédio de neurotransmissores, com função reguladora nas sinapses. A acupuntura médica, como realiza diagnóstico cruzado entre a medicina ocidental e oriental, pode e muito frequentemente altera, apenas a título de exemplo, a medicação em uso. Entretanto, como método terapêutico, relativamente invasivo, o tratamento só deve ser prescrito e executado após realização de diagnóstico clínico adequado (etiológico) para que se possam definir as reais indicações da terapêutica e o consequente prognóstico.

Procedimentos — Nosso trabalho segue a escola de pensamento ambulatorial do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, que une os conhecimentos da medicina ocidental aos da medicina oriental. Princípios e fundamentos clássicos ou tradicionais são integrados a técnicas modernas como a acupuntura abdominal do professor Bo (Bo's Method of Abdominal Acupuncture), a laserterapia, a eletroacupuntura, a acupuntura instrumental por Ryodoraku, a moxabustão eletrônica ou a somatotopia de Yamamoto (Yamamoto New Scalp Acupuncture). Para tanto, cada paciente passa por uma entrevista detalhada com perguntas subjetivas e objetivas elaboradas para se conhecer o estado atual do individuo. A seguir, seguem-se os exames médicos de rotina, acrescidos da palpação acupuntural, do estudo oriental dos pulsos radiais e da língua, tudo devidamente anotado numa ficha clínica. Tomado um diagnóstico, há a escolha da melhor manobra a ser realizada e quais pontos carecem de ativação. Obviamente, a primeira sessão requer mais tempo do que as subsequentes.

Na aplicação clássica, a sensação da punção é praticamente indolor. O paciente sente, no momento da aplicação, uma espécie de dormência, peso ou pequeno choque. Logo após, experimenta uma sensação de bem estar e de relaxamento. As agulhas são inseridas quase que superficialmente e são mantidas no corpo por um breve intervalo de tempo até que o efeito se processe e são, então, retiradas. As agulhas são finas (mais ou menos da espessura de um fio de cabelo) e são feitas de aço inoxidável. Seu tamanho varia de 1 a 12 cm e são descartáveis. Já em outras modalidades, como na laserterapia ou na moxabustão, não há menção de dor e o tempo da aplicação é variável. A punção das agulhas, a profundidade, o número de aplicações, e o tempo que as agulhas devem permanecer durante cada sessão estarão na dependência do caso específico. A melhora dependerá de cada organismo, assim como da assiduidade do paciente com as sessões.

Laserterapia — A laserterapia utiliza a radiação laser como uma espécie de agulha, com regras e limites próprios do método, indicações e contraindicações, que devem ser avaliadas individualmente. Entretanto, grosso modo, pode-se desta maneira tratar todas as enfermidades normalmente tratadas com a terapia por agulhas, com pequenas exceções. Na maior parte dos casos a acupuntura clássica e a laserterapia são intercambiáveis, mas esta é notoriamente indolor e de tratamento extraordinariamente curto. Pacientes com medo irracional de agulhas (acufobia), em uso de medicamentos anticoagulantes ou com problemas de coagulação sanguínea possuem na laserterapia uma opção adicional de segurança para seu tratamento.

Agendamento e contato — Todas as consultas e sessões de acupuntura médica são agendadas previamente, evitando a espera pelo atendimento nas antessalas de nossa clínica. Agende sua consulta pelo fone (34) 3312-4416, de segunda à sexta-feira. Para sua melhor comodidade, clique no endereço abaixo para visualizar o mapa com nosso endereço — cortesia do Google Maps.


Obrigado por sua visita! E lembre-se de que o melhor tratamento é sempre preventivo. Não faça tratamentos sem orientação médica. Consulte seu médico regularmente.

© Copyright 2008 Cláudio Luís Melo Bichuetti. Todos os direitos reservados.