Projeto Adoção Afetiva - Ministério das Relações Exteriores em São Paulo (ERESP)

Publicado a 24/09/2018, 07:55 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO   [ atualizado a 24/09/2018, 08:03 ]

 

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, representada pelo Secretário de Estado Dr. José Renato Nalini, e a Embaixadora Débora Vainer Barenboim-Salej do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores em São Paulo (ERESP), assinaram no dia 27 de março, um Protocolo de Intenções que tem como objetivo iniciar exercícios de Simulação de Modelo da ONU para o Ensino Médio (MONU-EM) na Rede Pública Estadual. (ANEXO)

 

Figura 1 - A Embaixadora Débora Salej e o Secretário José Nalini com a Dirigente Regional de Ensino Oneida T. Fioriti e a Diretora da Escola Adine Bayeux.

 

O Programa pretende implementar a Disciplina Eletiva MONU-EM, no 2º semestre, para os estudantes da Escola Estadual Ministro Costa Manso (Regional Centro Oeste), unidade escolar escolhida para receber o projeto piloto, as propostas de atividades estão relacionadas as ações do Programa “Adoção Afetiva de Escolas Estaduais”, da Secretaria de Educação.


Figura 2 – Informativo.

 

No dia 03 de abril, a Embaixadora Irene Vida Gala e a Secretária Mariana Benevides, do escritório do Ministério das Relações Exteriores em São Paulo (ERESP), visitaram a E.E. Ministro Costa Manso, para a divulgação e fortalecimento da presente parceria.

 

Figura 3 - A Embaixadora Irene Gala e Mariana Benevides com a Equipe Gestora.

 

Na Unidade Escolar, a Profa. Adine Cecília de Almeida Bayeux (Diretora), a Profa. Amelia Cristina Cesar Enrietti (Vice) e o Prof. Marcelo de Oliveira Léo (Coordenador Geral), gentilmente receberam as convidadas, o aluno Andres Alejandro Vasquez Gutierrez, imigrante da Venezuela, teve a oportunidade de conversar com a Embaixadora Irene Gala a respeito dos refugiados que foram abrigados no Brasil, “O processo de adaptação não foi complicado, contei com a ajuda da comunidade escolar. Estou muito agradecido pelo acolhimento dos Professores e dos Alunos”.

 

Figura 4 – O aluno Andres Gutierrez, de origem venezuelana, conversou com a Embaixadora.

 

A parceria consiste na conjunção de esforços para a realização de ações de difusão de conhecimento sobre a formulação e execução da política exterior do Brasil, as relações diplomáticas com governos de Estados estrangeiros, organizações internacionais e sobre a promoção dos interesses do Estado e da sociedade brasileiros no exterior, visando à melhoria da qualidade de ensino na escola.

 

Figura 5 – Os alunos demonstraram entusiasmo pelas propostas da MONU-EM.

 

Aos alunos da Disciplina Eletiva MONU-EM serão proporcionadas atividades de diplomacia pública e relativas à política externa; palestras, seminários e exercícios de simulação sobre o funcionamento e dinâmica da Organização das Nações Unidas (ONU); além da participação em atividades realizadas pelo ERESP, com o intuito de realizar a Simulação no final do semestre. 

_______________________________________________________________________________________________________________

O ERESP representa o Ministério das Relações Exteriores (MRE), junto ao Estado de São Paulo, bem como interage com autoridades locais, nacionais e estrangeiras, inclusive o Corpo Consular, com o empresariado, os meios culturais, a sociedade e as entidades que os representam; auxiliar na promoção de ações voltadas à difusão comercial e cultural; divulgar a política externa brasileira através da participação em palestras e seminários; recepcionar delegações oficiais; assistir estrangeiros e nacionais no que concerne à emissão e prorrogação de passaportes diplomáticos e oficiais, bem como legalizar documentos de cidadãos brasileiros emitidos no Estado de São Paulo.


Workshop “Ferramentas Digitais” – Microsoft / Parceiros da Educação

Publicado a 31/07/2018, 08:37 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO

 

A Associação Parceiros da Educação1, em parceria com a Microsoft Brasil2, convidou a E. E. Ministro Costa Manso para participar do Workshop “Ferramentas Digitais”, no dia 26 de março, na Sede do Microsoft em São Paulo.

 

Figura 1 – Tamara Nóbrega com os Professores e Alunos.

 

Os alunos Gabriel Santos Alves da Silva, Isabela Moreira dos Anjos Lopes da Silva e Vinicius Kenji Okumura, da 2ª série E.M. acompanhados pela Professora Ana Lídia de Oliveira Santos, participaram do Workshop que teve como objetivo oferecer aos estudantes conhecimento em diferentes ferramentas digitais para que, em parceria com a equipe escolar, desenvolvam novos projetos na escola.

 

Figura 2 – A Profa. Ana Lídia Santos com Isabela Moreira, Vinicius Kenji e Gabriel Santos.

 

Durante o Workshop os alunos e professores acompanharam a demonstração das ferramentas:


Ø  Sway: é um aplicativo do Microsoft Office que facilita a criação e o compartilhamento de relatórios interativos, histórias pessoais, apresentações e muito mais;


Ø  Forms: com o Microsoft Forms, você pode criar pesquisas, testes e votações e ver facilmente os resultados conforme elas forem chegando;


Ø  Word: com o Word você pode criar e formatar os seus documentos com Temas; revisar o trabalho com Controlar Alterações; refinar as suas palavras com revisores de texto como o Editor; salvar no OneDrive para acessar seus documentos no computador, tablet ou celular; compartilhar seu trabalho para conversar, comentar e colaborar com outras pessoas onde quer que elas estejam;


Ø  Excel: o Excel facilita o cálculo de números, simplifica a entrada de dados com o AutoPreenchimento, pode obter recomendações de gráficos com base em dados e criá-los com um único clique, além de identificar padrões e tendências facilmente com barras de dados, codificação por cores e ícones e relacionar com o Microsoft Forms;


Ø  Teams: o Microsoft Teams reúne pessoas, conversas, arquivos e ferramentas em um único lugar para que todos tenham acesso imediato a tudo o que é necessário;


Ø  Calendário: o aplicativos Calendário do Outlook ajuda a gerenciar sua agenda;


Ø  Comunidade Educadores: o ensino tem a ver com criação, inovação e cultivo da curiosidade, na Comunidade Educadores você encontra recursos pedagógicos e inspira os seus alunos a irem mais longe.

 

 

Figura 3 – Os alunos implementando o uso dos aplicativos da Microsoft.


Após o encontro, alunos e professores desenvolverão um Projeto com o uso das ferramentas digitais, a fim de melhorar o cotidiano escolar.

 

Como criar sua conta Microsoft: acesse os tutoriais em anexo.

Microsoft_Tutorial__Aluno

Microsoft_Tutorial__Professor

_______________________________________________________________________________________________________________

1A Parceiros da Educação é uma Associação sem fins lucrativos, que trabalha por uma educação pública de qualidade no Brasil, e desde 2004 promove parceria entre empresas, empresários e organizações da sociedade civil com escolas públicas, visando a melhoria do desempenho acadêmico dos alunos, além de apoiar o governo na adoção de políticas públicas que ajudem a impulsionar esta melhoria e potencializar os investimentos governamentais na área da educação.






2Microsoft Corporation é uma empresa transnacional americana com sede em Redmond, Washington, que desenvolve, fabrica, licencia, apoia e vende softwares de computador, produtos eletrônicos, computadores e serviços pessoais.

 

 

Programa “Meu Dinheiro, Meu Negócio” – JASP

Publicado a 31/07/2018, 08:11 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO   [ atualizado a 31/07/2018, 08:13 ]

A Júnior Achievement São Paulo (JASP1) é uma das maiores ONGs incentivadoras de jovens do mundo, estimulando o desenvolvimento para o mercado de trabalho por meio do método aprender-fazendo em educação financeira, gerando caminhos para empregabilidade e criação de empregos.


Figura 1 – Ao final do Programa a satisfação de voluntários e alunos.

 

O Programa “Meu Dinheiro, Meu Negócio”, foi realizado no dia 19 de março, pelos voluntários da Júnior Achievement São Paulo, para os alunos da 3º série E.M. da E.E. Ministro Costa Manso, com foco na Educação Financeira. Teve como objetivo desenvolver habilidades para lidar com o dinheiro e estimulá-los à conscientização da importância de ampliarem seus conhecimentos em finanças, e a se prepararem para enfrentar os obstáculos proporcionados pela busca de uma vida financeira saudável.

 

Figura 2 – Os voluntários ensinam as bases da Educação Financeira.

 

As mudanças de comportamento dos estudantes foram visíveis, tendo em vista o impacto gerado pelo Projeto em Educação Financeira, tendo como resultado a motivação e o desenvolvimento de competências para a vida, mostrando-se socialmente responsáveis.

 

Figura 3 – As atividades proporcionaram momentos de reflexão.

           

            A iniciativa do desenvolvimento do Programa “Meu Dinheiro, Meu Negócio” foi uma parceria da Júnior Achievement São Paulo com o Prof. Marcelo de Oliveira Léo (Coordenador Geral) da E.E. Ministro Costa Manso.

 

Depoimentos dos Alunos:

 “O evento Programa Meu Dinheiro, Meu Negócio foi muito bacana, pois nos apresentou uma maneira descontraída, de como investir e cuidar do nosso dinheiro. Os palestrantes foram muito simpáticos e solucionaram as nossas dúvidas. Além de tudo, eles motivaram a turma na busca da profissão dos sonhos, independente do salário. A apresentação ficou registrada em nossa mente”.

Giovanna S. Vieira – Aluna da 3º série

 

“Por meio do Projeto, eu aprendi a administrar meu dinheiro e como investir. Achei de extremo valor para todos. Se não soubermos investir no presente, no futuro, ficaremos sempre endividados e com pouco dinheiro. Como já disse, foi muito interessante tê-los aqui oferecendo uma aula de Economia. Obrigada a Júnior Achievement e aos voluntários”.

Victória Sudário de Jesus – Aluna da 3º série

 

“Foi muito proveitoso às aulas que tivemos com os voluntários. Aprendemos inicialmente como investir, mesmo tendo pouco dinheiro, e de como os empresários sabem o momento menos arriscado para a abertura de uma empresa. Caso eles retornem, serão muito bem-vindos”.

Gabriella Viana Gomes – Aluna da 3º série


1A Junior Achievement é uma organização não governamental sem fins lucrativos, criada por um grupo de empresários, para promover programas de educação empreendedora, cuja missão é trabalhar a atitude empreendedora, possibilitando aos jovens estarem mais preparados para os desafios futuros.

 

II Plantio Global – Bloomberg

Publicado a 24/07/2018, 11:27 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO

 

Na manhã do domingo, dia 18 de março de 2018, a E.E. Ministro Costa Manso, representada por Adine Cecilia de Almeida Bayeux, Ana Lídia de Oliveira Santos, Ana Paula dos Santos Bonno e Marcelo de Oliveira Léo, participaram do evento PLANTIO GLOBAL, uma ação colaborativa e comunitária, que congregou a parceria de diversos grupos: sociedade civil, organizações privadas e poder público, em diferentes cidades do Brasil e do mundo.

Figura 1 – A E.E. Ministro Costa Manso parceira no Plantio Global.

 

A Ação Global consistiu no plantio de 100 novas árvores, com características principais de serem melíferas e atrativas à avifauna, estendendo o Corredor Verde Polinizador do Instituto Biológico para conectar ao fragmento do Parque do Ibirapuera e entorno.

Figura 2 – A (árvore nº 99) Pitangueira Preta.

 

Por meio desta ação ampliamos a conscientização e práticas ambientais, assim como viabilizamos a troca de experiências e conhecimento, e ainda contribuímos com a experimentação e aprimoramento de políticas públicas para o setor.

Figura 3 – A ação colaborativa dos diversos grupos.

 

A iniciativa foi do Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento sustentável e Cultura da Paz (CADES) e Fórum Agenda 2030 da Prefeitura Regional Vila Mariana, em parceria com o Instituto Biológico/Secretaria Estadual de Abastecimento e Agricultura e Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA).

Figura 4 – A Profa. Adine Bayeux (Diretora) e Prof. Marcelo Léo (Coordenador Geral)  no II Plantio Global.

 

            Segundo o Professor Marcelo de Oliveira Léo, Coordenador Geral da E.E. Ministro Costa Manso, “São Paulo é uma cidade enorme em sua extensão e todos os dias apresenta novos desafios de convívio dos diversos elementos que a compõem. O convívio de fauna e flora não é simples, a concorrência por crescimento e sobrevivência, diante da perversidade, da poluição, das alterações climáticas, da inadequação das espécies, do ponto onde se localizam e da incompreensão de seu valor tornam o II Plantio Global um importante instrumento de divulgação e sensibilização para o papel das árvores em nossa cidade, especialmente na regulação do clima, da qualidade do ar e na promoção da saúde e do bem estar”.


MasterClass - Dia Internacional de Meninas e Mulheres em Ciência 2018

Publicado a 24/07/2018, 11:10 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO

Aguardando a publicação

Projeto Constituição na Escola - 1ª Fase Olimpíada Constitucional

Publicado a 13/07/2018, 09:21 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO

 

 

A 2ª edição do Projeto Constituição na Escola, teve início no dia 05 de março, com as aulas sobre a Constituição Federal, o Professor Marcelo de Oliveira Léo (Coordenador Geral) recepcionou os advogados Felipe Costa Rodrigues Neves (Fundador e Presidente) e Isabel Cortellini (Diretora de Ensino Médio), voluntários do Projeto, que estiveram com os alunos da 3ª série E.M. na E.E. Ministro Costa Manso.

 

Figura 1 – O Prof. Marcelo Léo com Felipe Neves e Isabel Cortellini.

 

Assim a proposta para a 1ª Fase foi a elaboração de uma Redação, sobre o temaDireitos políticos: além da idade mínima, a Constituição Federal deveria exigir outros requisitos para concorrer a cargos do Poder Legislativo e Executivo? ”, os alunos tinham que utilizar como justificativa ao menos 1 (um) artigo da Constituição Federal.

 

Figura 2 - O Advogado Felipe Neves na realização da aula sobre a Constituição Federal.

 

Nessa redação, os alunos, orientados pela Professora Laura de Medeiros Rongetta, escreveram se há outros requisitos para que alguém possa concorrer a um cargo político, como escolaridade mínima, fazer algum tipo de prova para ser apto a ser político. Por outro lado, também podiam escolher defender que nenhum outro requisito é necessário, para concorrer a cargos políticos, deve ser aberta a todos, independentemente de escolaridade.

 

Figura 3 – A Advogada Isabel Cortellini falou a respeito dos direitos humanos e civilidade.

 

Foram classificadas três propostas: “O Poder da Graduação”, de Gabriella Viana Gomes, Luana Batista Fernandes, Silvia Helena Cabral Meira da 3ª série C e Victória Sudário de Jesus– 3ª série A; “Política às avessas”, de Ana Carolina Dias Melo, Graziele Lopes da Silva, Lais da Silva Araujo e Nicole de Souza Gomes da 3ª série A e; “Processo de elegibilidade no Brasil: O que precisa ser mudado?”, de Ana Julia Benicio Bonati, Camila Izabelle Garcia Viana, Giovanna dos Santos Vieira e Nathalia Barbosa Dantas da 3ª série. (ANEXO)


Figura 4 – A Profa. Laura Rongetta com as alunas classificadas para a 2ª fase.

 

A Comissão Julgadora, formada pela Equipe Gestora e Professores, elegeu o texto “Processo de elegibilidade no Brasil: O que precisa ser mudado?”, para representar a Escola na 2ª fase, no dia 29 de maio.

_______________________________________________________________________________________________________________

O objetivo do Projeto, através das aulas sobre a Constituição Federal Brasileira, é expandir a noção cívica dos nossos estudantes, ensinando-lhes sobre seus direitos e deveres constitucionais, para que tenham uma base educacional sólida para compreender a importância de ser um cidadão consciente.

Facebook: facebook.com/projetoconstituicaonaescola/   

Instagran: @constituicaonasescolas  


Planejamento Escolar 2018

Publicado a 13/07/2018, 08:49 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO   [ atualizado a 13/07/2018, 09:28 ]

Tendo em vista o início do ano letivo de 2018, o Planejamento Escolar é o momento que a equipe escolar irá analisar o desempenho dos alunos em 2017, subsidiados pelos indicadores que estão na Plataforma Foco Aprendizagem (avaliações externas), e articulando com os resultados do diagnóstico que os professores realizaram na semana de 5 a 9 de fevereiro, com vistas à organização de ações articuladas para a melhoria do processo de ensino e da aprendizagem e aperfeiçoamento das práticas.

            Na elaboração do Plano de Ação da escola, observou-se a importância dos resultados da Avaliação da Aprendizagem em Processo, articulando aos planos de ensino dos diversos componentes curriculares, a partir do currículo, otimizando o uso de materiais didáticos, previamente selecionados e organizados, adequados às diferentes situações de ensino e de aprendizagem dos alunos.

 

1º Dia - 14/fevereiro/2018

 

Atividades:

 

-  Leitura do Comunicado SE s/nº de 15/01/2018;

-  Apresentação do Documento Orientador CGEB;

           -  Oficina 1 – Análise dos resultados da Escola em 2017.

 


Objetivo: Discutir o processo de ensino e de aprendizagem e o desempenho dos alunos nas avaliações escolares, inclusive as estratégias de apoio às aprendizagens, com a finalidade de atribuir um parecer global sobre o desempenho desses alunos.

 

ü  Balanço das ações da Unidade Escolar em 2017:

 

a)      Avaliação UE Análise Comparativa 2017;

b)      Avaliação UE Resultado Final 2017;

c)      Rendimento Final: Relatório dos Resultados Finais 2017;

d)     Síntese dos Resultados de Desempenho e Fluxo do SARESP/IDESP (2017).

-  Oficina 2 - Auto avaliação a partir do Plano de Ação 2017 (Ferramenta de Gestão).

 

 

 Objetivo: Refletir sobre o desenvolvimento do trabalho educativo no interior da escola. Dessa forma, a escola deverá dar continuidade às ações positivas, que se refletem no bom desempenho dos alunos, e rever ou aprimorar as ações que, por razões diversas, não geraram as aprendizagens esperadas.

a)      Qual (is) era (m) a (s) prioridade (s) da escola em 2017?

b)      Quais delas serão mantidas nesse ano?

c)      Quais delas precisam ser reformuladas?

d)     Quais ações foram pensadas para atingir a meta esperada?

 


2º Dia - 15/fevereiro/2018

 

Atividades:

 

-  Oficina 3 - Observar os Indicadores (AAP e SARESP) na Plataforma Foco Aprendizagem e o Resultado Final do Conselho de Classe e Série para planejar o Plano de Ação.

 


Objetivo: Foco em procedimento metodológico (Antes de planejar, analisar as informações a fim de identificar as prioridades reais da escola. Tal procedimento dará subsídios para planejar a partir de dados concretos e mensuráveis).

 

Para analisar os dados da AAP e SARESP faz-se necessário refletir sobre as questões propostas.

 

a)      O que as informações podem dizer sobre o trabalho realizado pela escola no ano anterior?

b)      Por que alguns estudantes apresentam melhor desempenho que outros? Como recuperar essas defasagens?

c)      Quais habilidades os alunos estão desenvolvendo ou deixando de desenvolver em cada segmento, em cada turma, em cada turno escolar, na escola como um todo?

d)     A partir dessa análise, qual a prioridade identificada da escola?

e)      Quais possíveis ações de intervenção, como desenvolvê-las, monitorá-las, como avaliar o processo e o resultado, como realinhar caso haja necessidade, como definir responsáveis e prazos?

 

-  Oficina 4: Analisar os resultados das atividades diagnósticas do período de 5 a 9 de fevereiro.

 

 


Objetivo: Apresentação dos indicadores da escola, contemplando as potencialidades e fragilidades do aluno.

 

-  Oficina 5: Estudo das sequências didáticas de Língua Portuguesa e Matemática.

 

 

Objetivo: Alicerçar a escola para a aplicação de atividades intensivas de apoio às aprendizagens nas semanas de 19/02 a 02/03/18 e, quando houver necessidade, nas recuperações contínuas no decorrer do ano.


a)      Análise e estudo das sequências didáticas de Língua Portuguesa e Matemática com base nas habilidades em defasagem;

b)      Apresentação de sequências que serão trabalhadas.

 

 

3º Dia - 16/fevereiro/2018

 

Atividades:

 

-  Oficina 6: Elaboração do Plano de Ação da U.E.

 

 

Objetivo: Preencher a Ferramenta de Gestão/Plano de Ação da Escola, conforme as orientações enviadas pela CGEB/PEI.

 

-  Discussão da Base Nacional Comum Curricular – BNCC, documento normativo que assegura os direitos de aprendizagem de todos os alunos do Brasil.

 


Objetivo: Refletir sobre os princípios da Educação Integral e as Competências Gerais, foco de desenvolvimento para toda a educação básica a partir do que já é desenvolvido pelo Currículo do Estado de São Paulo, que se encontra implementado na rede desde 2008. (http://basenacionalcomum.mec.gov.br/)

 

-  Oficina 7: Parte Diversificada e Atividades Complementares do Currículo:

a)      Articulação com as disciplinas da Base Nacional Comum;

b)      Desenvolvimento dos Valores, Princípios e Premissas do Programa Ensino Integral.

 

 


-  Oficina 8: Tellus - Escuta dos professores por meio do Google Formulários e Dinâmica para validação dos acordos para atuação do projeto em 2018.

 

 


Objetivos: Mapear a fluência tecnológica; mapear práticas pedagógicas utilizadas; levantar temas de interesse para as formações; entender como se dá o uso dos espaços escolares. Compartilhar e validar ações para 2018; estabelecer acordos para o trabalho em 2018.

 

Visita ao Navio Veleiro (NVe) Cisne Branco

Publicado a 13/07/2018, 07:41 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO

 

           A convite do Dr. José Renato Nalini – Secretário Estadual de Educação –, o Professor Marcelo de O. Léo – Coordenador Geral – e os alunos Davi Ramos, Alexandre Pinho, Graziele Lopes, Nicole de Souza e Matheus Karnakis, da E. E. Ministro Costa Manso, visitaram, no dia 29 de janeiro de 2018, o NVe Cisne Branco da Marinha do Brasil, na Capitania dos Portos, em Santos, São Paulo.

 

Figura 1 - O Prof. Marcelo Léo e o Dr. Renato Nalini foram recepcionados pelo Comandante Rabello.


O objetivo da visita foi conhecer o NVe Cisne Branco (U-20), que exerce funções diplomáticas e de relações públicas. A sua missão é a de representar o Brasil em eventos náuticos nacionais e internacionais, além de divulgar a mentalidade marítima na sociedade civil e preservar as tradições navais.

 

                                                                  Figura 2 - O Secretário Dr. Nalini e o Prof. Marcelo Léo com os alunos Davi Ramos, Alexandre Pinho,                                                                                       Nicole de Souza, Matheus Karnakis e Graziele Lopes convidados para o evento.

 

Para as comemorações dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, a Marinha encomendou a embarcação NVe Cisne Branco, que foi construída em Amsterdã e incorporada à Armada em 9 de março de 2000, no mesmo dia da partida da Armada de Pedro Álvares Cabral, em Lisboa.

 

Figura 3 - O NVe Cisne Branco conhecido como “embaixada flutuante” em atividades de representação nacional e internacional.

               

                A recepção foi na Praça D’Armas do NVe Cisne Branco. No local, o Comandante Rabello recebeu a bordo os convidados, apresentou o navio e as precauções de segurança.


Figura 4 - Apresentação do navio e das precauções de segurança.

 

Em seguida, começou a desacatração do NVe Cisne Branco e a navegação pelo Canal do Porto de Santos, com o auxílio do Prático da Marinha Mercante.

Figura 5 - Desacatração e navegação pelo Canal de Santos.

 

            No convés principal (meio Navio) iniciou-se a Manobra Geral de Vela, com a narrativa das ações realizadas com velas de cerca de 18 km de cabos, manobradas manualmente pela tripulação em trabalho de equipe. Estes cabos são cunhados em malaguetas, distribuídas por todo o Navio (são 300 ao todo). As ordens são emanadas para os três mastros por meio de toques de apito.

 

Figura 6 - Manobra geral de vela.

 

A visita às áreas e compartimentos nobres iniciou-se no Lobby da Santa, conhecido por exibir a imagem de Nossa Senhora da Boa Esperança, associada ao mar e à proteção dos marinheiros. A imagem é uma réplica, foi feita pelos descendentes dos artesãos que esculpiram a imagem original que foi trazida na nau do descobrimento por Pedro Álvares Cabral, em 1500.


Figura 7 - O Lobby da Santa.

 

No lobby há também um vitral em que aparece o Cisne Branco navegando na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, onde é possível ver, ao fundo, detalhes marcantes da cidade, como o Corcovado, o Pão de Açúcar e a Escola Naval.


Figura 8 - Maquete do Navio Veleiro Cisne Branco.

 

Ao lado da secretaria, está exposta uma maquete do Navio, doada em 2005, pelo modelista naval alemão Klaus Gunter Wilhelm Jentzsch, e que retrata o NVe Cisne Branco com todas as velas caçadas (à exceção da vela de capa e das velas auxiliares).

 

Figura 9 - Navegação pela Baía de Santos.

 

                Durante a viagem foi possível notar os recursos modernos do Cisne Branco, como o radar, o ecobatímetro, o anemômetro, os equipamentos de comunicação, telefonia satélite, carta digital e sistema de navegação por satélite de alta precisão (Global Positioning System), que contrasta com a forma como são realizadas as manobras de vela e as tarefas nos conveses, feitas exatamente como no século XIX.


Figura 10 – Atracação no cais da Capitania dos Portos.

 

            O Comandante Rabello gentilmente ofereceu um brunch aos convidados, pouco antes da atracação no cais do porto, encerrando a visita. Após as despedidas, foi realizado o desembarque.

 

Figura 11 – Marinharia no Cisne Branco.

 

Os mais sinceros agradecimentos pelo convite do Dr. José Renato Nalini e pela recepção do Comandante Rabello, dos Oficiais e da tripulação do NVe Cisne Branco, que preservam as antigas tradições dos históricos veleiros e cultivam nos tripulantes o espírito marinheiro e a essência da marinharia, fazendo atentar para o fato de que o Brasil, na condição de um país marítimo e continental, sempre teve e terá seu desenvolvimento atrelado ao mar.

 

 

Comentários dos Alunos:

“A visita ao veleiro da Marinha foi incrível! Tivemos a oportunidade de conhecer o Cisne Branco, um veleiro muito bonito, além do trabalho dos marinheiros de perto. Foi muito gratificante, pois tivemos a honra de velejar. Foi excelente e inesquecível. ”

Davi Henrique Vieira Ramos

Aluno da 3ª série

 

“A experiência de conhecer o navio da Marinha brasileira foi inexplicável. Foi possível apreender como é o trabalho diário dos marinheiros, que estavam disponíveis a nos explicar cada passo e apresentar as instalações do navio e, até mesmo, como é o processo para ingressar na carreira da Marinha. ”

Graziele Lopes da Silva

Aluna da 3ª série

 

“Sou aluno da Escola Estadual Ministro Costa Manso e, no dia 29 de janeiro, tive a oportunidade de realizar um passeio na Baía de Santos no Navio Veleiro Cisne Branco, com os marinheiros e alunos de diferentes regiões de São Paulo. Após embarcarmos no Navio, os marinheiros explicaram as regras e normas de segurança, falaram sobre a história do Navio. A viagem foi ótima, na minha opinião, gostei muito do Comandante da Marinha, que explicou sobre a origem do Navio e dos procedimentos de segurança, pois, ao entrar num navio, devemos ter muito cuidado no local onde se pisa, pois contém um número enorme de cordas e pode acabar machucando-se. Gostei do fato de como os marinheiros se organizavam entre eles para abrir as velas da embarcação, como também da maneira como o marinheiro fazia comando para outros por meio de sinal de apito. Praticamente eu realizei um sonho, pois eu nunca tinha velejado em um navio e tive uma grande oportunidade de conhecer os procedimentos de navegação. ”

Matheus Gustavo dos Reis Silva

Aluno da 3ª série

 

“A tripulação do navio Cisne Branco da Marinha Brasileira nos recebeu de forma admirável, como convidados de honra. Foram apresentadas as instalações, e pudemos observar a beleza do navio ao balançar das ondas do mar. Fomos levados num primeiro momento ao interior do Cisne Branco, com detalhes minuciosos sobre como eram os navios na época do Descobrimento do Brasil, foram dadas as instruções de segurança e narrada um pouco da história sobre o Cisne Branco. Os marinheiros esclareceram todas as dúvidas com muito carisma, até mesmo acrescentando informações como o uso de apitos para dar ordens de forma mais clara que a comunicação verbal tradicional, as formas de seguir carreira na Marinha Brasileira, o funcionamento dos cabos de içamento das velas. O navio, à primeira vista, não parecia algo de se admirar, porém, ao adentrarmos, vimos que de fato ‘não se pode julgar um livro pela capa’. Além de toda a beleza e referências por ser uma réplica do veleiro da época do Descobrimento do Brasil, ele ainda possui aparelhos tecnológicos como ar condicionado e outros de navegação. Foi uma experiência memorável, e sou grato pelo convite para tal oportunidade. É uma honra poder dizer que conheci e convivi por algumas horas com a tripulação da Marinha Brasileira, navegando e experimentando um pouco de suas vidas. Obrigado à Direção da Escola Estadual Ministro Costa Manso e à Secretaria de Educação por proporcionar algo assim. ”

                                                                                        Alexandre Issao Hamada Barros Pinho

Aluno da 3ª série


Culminância das Disciplinas Eletivas 2º semestre/2017

Publicado a 05/07/2018, 11:06 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO


As Disciplinas Eletivas compõem uma das inovações metodológicas da Parte Diversifica do Programa Ensino Integral da Secretaria de Estado da Educação, envolvem as áreas de conhecimento e implicam na diversificação de situações didáticas, visando aprofundar, enriquecer e ampliar estudos relativos aos conteúdos das áreas.


Os objetivos das Eletivas foram:

  1. Possibilitar aos alunos a oportunidade de enriquecer seu próprio currículo;
  2. Diversificar, aprofundar conceitos, procedimentos ou temáticas de uma disciplina ou área de conhecimento;
  3. Desenvolver estudos de acordo com os focos de interesses relacionados aos seus Projetos de Vida;
  4. Favorecer a aquisição de competências específicas para a continuidade dos estudos e para a inserção e permanência no mundo do trabalho são os objetivos das Eletivas.

No início do 2º semestre/2017, a Escola Estadual Ministro Costa Manso proporcionou aos alunos a opção de eleger uma das Disciplinas Eletivas:


 Título: CÂMERA AÇÃO.


Ementa:  A Eletiva teve por objetivo proporcionar uma imersão no universo da sétima arte, a partir de vídeos/doc. roda de conversa com convidados nas quais os alunos entraram em contato com a história do cinema, seus gêneros e influência na cultura. As temáticas que serviram de disparadores para a produção dos filmes estão relacionadas aos temas transversais dos Parâmetros Curriculares Nacionais, pautando questões da atualidade na qual os jovens estão envolvidos.

Culminância: A Culminância será a apresentação dos filmes produzidos pelos estudantes num Festival de Cinema da Eletiva.

 

Professores: Elisabete da Silva Gonçalves (Arte) e Marcio Aparecido Ferreira Pimentel (Filosofia).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: CÓDIGO SECRETO!


Ementa: Esta Eletiva, possibilitou para que aluno desenvolvesse habilidades de leitura crítica da realidade e para a produção do conhecimento; além de instrumentalizá-lo, para que, a partir do estudo, possa elaborar trabalhos; e compreender as linguagens matemáticas e de Língua Portuguesa; de capacitar o aluno a entender a ciência como um modo de compreender e analisar o mundo empírico, por meio de atividades lúdicas com diferentes níveis de complexidade para desenvolver o conhecimento.

Culminância: Exposição de pesquisa atual sobre os temas desenvolvidos, apresentação dos trabalhos por meio de cartazes e vídeos.

 

Professores: Eliza Mendes Martins de Moura (Língua Portuguesa), Melissa Mitie Miyasaki (Matemática) e Rosimeire Aparecida de Sousa (Química).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: ESCOLA SUSTENTÁVEL: COMO FAZER?


Ementa: A Eletiva teve como proposta desenvolver um projeto que envolvesse ações inovadoras voltadas a sustentabilidade e/ou o uso de energias renováveis que visa a produção de um projeto de escola sustentável para o Prêmio Zayed “Energia do Futuro” no ano de 2018, contribuindo para a formação de cidadãos críticos, responsáveis e com consciência socioambiental.

 

Figura 1 – Projeto da cisterna e a maquete da escola (telhado verde e painel solar).

 

Culminância: Apresentação do vídeo e do projeto finalizado.

Figura 2 – Captação da energia solar (células fotovoltaicas), a composteira e a horta suspensa.

 

Professores: Jacqueline Camargo Nogueira Contreiras (Biologia) e Antônio da Silva Sobrinho (Química e Física).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: FABRIQUETA DE HISTÓRIAS – PERCURSOS NARRATIVOS



 

Ementa: A Eletiva colocou os estudantes em contato com a escrita, por meio da leitura de textos, de atividades em torno da criação literária e, sobretudo, do incentivo da produção de um livro que integrou os textos, de diferentes gêneros narrativos, escritos pelos estudantes. A partir da escolha de um tema norteador escolhido pelos próprios alunos nas primeiras aulas, foram explorados os gêneros narrativos (o poema, o conto, a crônica etc.), considerando as características e possibilidades de cada um. Tendo em vista o tema geral do livro e as discussões e experimentações feitas em aula, cada aluno definiu o gênero com o qual trabalhou, desenvolvendo seu texto na exploração dos recursos próprios desse gênero. Ao final do curso, os estudantes saíram com a publicação de sua autoria em mãos.

 

 

Figura 3 – O lançamento do livro “Você não me conhece”, publicação conjunta dos alunos da Eletiva.

 

 

Culminância: Houve um evento de lançamento do livro que reuniu a produção de todos os alunos.

 

Figura 4 – Sessão de autógrafos com os autores do livro.

 

Professores: Ana Lídia de Oliveira Santos (Sala de Leitura).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: MATEMÁTICA & GEOGRAFIA.


Ementa: A Eletiva teve como meta trabalhar matemática usando a disciplina de geografia por meio de mapas, gráficos, tabelas e jogos. O aluno reforçou os conceitos da matemática, observando o quanto ela está presente em outras áreas.

Figura 5 – Os portfólios dos alunos da Eletiva MAT& GEO.

 

Culminância: Os alunos, divididos em grupo, apresentaram os portfólios com os trabalhos desenvolvidos durante o semestre na Eletiva.

 

Figura 6 – Os alunos apresentam os trabalhos desenvolvidos nas aulas.

 

Professores: Edylene Alves Cardoso Boccoli (Matemática) e Claudenir Rogério Zirondi (Geografia).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: MATEMÁTICA, JOGOS E QUEBRA-CABEÇAS


Ementa: Os brinquedos, jogos ou questões testam o raciocínio e em geral a sua solução é simples, mas é preciso paciência. Como eles estimulam o cérebro a pensar, quanto mais você experimenta, mais fáceis eles ficarão e ainda mais com o uso da TIC’s no desenvolvimento da Matemática, nos jogos e quebra-cabeças. 

Figura 7 – A competição com o Kahoot despertou o interesse na aprendizagem.

 

Culminância: Apresentação dos jogos vivenciados ao longo do semestre.

Professores: Marcio Monteiro Sandron (Matemática) e Celso Ferraz Gonçalves (Educação Física).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: QUE MUNDO É ESSE? (II)


Ementa: Utilizando diferenciadas metodologias e variados recursos didáticos, esta eletiva apresentou temas de atualidades, fazendo com que os alunos pudessem posicionar-se criticamente frente aos desafios do mundo contemporâneo, levando-os a uma participação ativa na sociedade, exercendo o protagonismo de maneira consciente e livre de manipulações. Além disso, as aulas deram um enfoque em conteúdos exigidos nos grandes vestibulares e no Enem, a fim de fornecer ferramentas para a concretização dos projetos de vida dos estudantes.

Figura 8 – O jogo com perguntas sobre os temas da atualidade.

 

Culminância: Apresentação/socialização dos painéis e de atividade lúdica produzida pelos alunos.


Figura 9 – Os painéis produzidos a partir das temáticas discutidas (discriminação, trabalho escravo, o futuro do mundo, etc.)

 

Professores: Paulo Roberto Cardoso Lodi (História) e Fernanda Gama Bezerra (Língua Portuguesa).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: QUI-BRINCANDO COM FÍSICA, LITERATURA...

 


 

Ementa:  A Eletiva teve como objetivo fazer com que o aprendiz desenvolvesse o raciocínio lógico e abstrato, a criatividade, o espírito de equipe, a ciência sobre questões de sustentabilidade e o protagonismo juvenil por meio do desenvolvimento de projetos de robótica, considerando não só a Linguagem de Programação, mas também a ambientação estética dos protótipos criados e desenvolvidos em etapas programadas de acordo com a estruturação e a finalidade de cada um deles. Além disso, promoveu a o uso de estratégias diversificadas, seguindo este processo de elaboração: pesquisa, escolha, teste e desenvolvimento.  

 

 

Figura 10 – A casa” inteligente” – abertura e fechamento de portas, iluminação – acionados pelo celular.

 

Culminância: A Culminância foi realizada por meio da apresentação dos projetos desenvolvidos com e sem o uso do ARDUÍNO, produzidos pelos alunos.

Figura 11 – Os carros ativados com controle do aplicativo no celular.

 

Professores: Maria Graziela Alvarenga (Física e Química) e Sílvia Schuster (Língua Portuguesa e Língua Inglesa).

***************************************************************************************************************************************************************

Título: USC ROCKS


Ementa: A Eletiva reviu aspectos sociais, geográficos, culturais e linguísticos fazendo uma ponte entre o passado e o presente, especialmente do Estado da Califórnia, abrangendo também os demais estados do país norte-americano. Não se esquecendo de elencar os últimos acontecimentos que se transformaram em notícias. O foco recaiu sobre o sujeito e suas conquistas e de assuntos relevante para a humanidade. Estas questões foram abordadas em vídeo conferências sincrônicas com estudantes do curso de mestrado da Universidade do Sul da Califórnia (USC).

Culminância: Apresentações musicais, de dramatizações, mostrando os benefícios que a cultura norte americana / californiana trouxe mundialmente.

Professores: Amélia Cristina César Enrietti (Inglês) e Laura Rongetta (Sociologia).

 

Ao final, os Professores e alunos analisaram os resultados das Disciplinas Eletivas e sua influência nas disciplinas da Base Nacional Comum e nos Projetos de Vida dos alunos. Os professores de cada Disciplina Eletiva realizaram o “A” do PDCA nas atividades constantes no planejamento de sua disciplina: as principais metas não atingidas ou ações não realizadas foram discutidas e, identificadas as causas, definindo e executando as ações corretivas.

 

IV Concurso de Texto Filosófico

Publicado a 05/07/2018, 07:04 por MARCELO DE OLIVEIRA LEO   [ atualizado a 05/07/2018, 07:07 ]


O “IV Concurso de Texto Filosófico” da Diretoria de Ensino região Centro Oeste, foi realizado no dia 05 de dezembro, na EFAP - Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores do Estado de São Paulo.

 

Figura 1 – O auditório da EFAP repleto de convidados.

 

O evento contou com a presença de Diretores, Coordenadores, Professores e Alunos, convidados para a cerimônia de premiação do Concurso de Texto Filosófico, além de representantes da Diretoria de Ensino.

 

Figura 2 – Os alunos ganharam o Certificado de participação.

 

Os alunos Ana Paula da C. Cardoso e Matheus Felipe S. da Silva, da E.E. Ministro Costa Manso participaram do Concurso com os textos “Justiça Social: Educação e Equidade” e “A Invisibilidade como Marca da Injustiça Social”, respectivamente. (ANEXOS)

 

 

Figura 3 – A homenagem aos Professores Orientadores.

 

O Professor Márcio A. Ferreira Pimentel foi o orientador dos alunos, demonstrando domínio de sua área de conhecimento, sendo capaz de comunicá-la e contextualizá-la, relacionando-a com à prática e a realidade do aluno.

 

Figura 4 – Em destaque, o aluno Matheus Felipe S. da Silva recebe a premiação.

 

            O texto “A invisibilidade como marca da injustiça social” do aluno Matheus Felipe S. da Silva, foi contemplado com o 1º lugar no “IV Concurso de Texto Filosófico”.

 

 

Figura 5 – A Equipe Escolar prestigiando o aluno Matheus Felipe.

    

     A Equipe Gestora da E.E. Ministro Costa Manso, representada pela Sra. Adine Cecília de Almeida Bayeux (Direção) e pelo Sr. Marcelo de Oliveira Léo (Coordenador Geral) prestigiaram o evento e parabenizam o Professor Márcio A. Ferreira Pimentel e o Aluno Matheus Felipe S. da Silva, pelo Prêmio do Concurso do Texto Filosófico, o que engrandece o trabalho docente e o protagonismo juvenil discente.

  

1-10 of 78