Mirako Sucos‎ > ‎

vitaminadeluz

Sangue Verde - Vitamina de luz - Suco de Clorofila

A clorofila é um grupo de pigmentos fotossintéticos presente nos cloroplastos (organelas presentes nas células das plantas e algas, rico em clorofila), responsável pela coloração verde das plantas.

Características principais

Sua estrutura molecular é semelhante a da hemoglobina (proteína responsável pela coloração do sangue, que contém ferro e transporta oxigênio pelo organismo através dos glóbulos vermelhos), a diferença é que a hemoglobina possui ferro ao invés de magnésio.

No interior das células vegetais, a clorofila encontra-se dentro de cloroplastos cercados por densos corpos de protoplasma (substância albuminóide que compõe a parte ativa e viva da célula).

A intensa cor verde da clorofila se deve a sua enorme capacidade de absorver a luz através das regiões azuis e vermelhas do espectro eletromagnético; é por conta destas absorções, a luz que ela reflete e transmite é o verde que percebemos.

Devido a sua tendência de mascarar a presença das cores de outras substâncias, como por exemplo, os carotenóides (pigmento vermelho ou amarelo encontrado em plantas e animais), a cor predominante nas plantas é o verde.
Uma outra característica importantíssima da clorofila, é a sua capacidade transformar a energia da luz solar em energia química, isso se dá através do processo de fotossíntese, no qual, a energia absorvida pela clorofila transforma dióxido de carbono e água em carboidratos e oxigênio. 

Com mais de 100 nutrientes, a clorofila é considerada, por muitos, o alimento do futuro. Tem alto teor de oxigênio e contém todos os minerais conhecidos, além de diversas vitaminas, proteínas, 18 tipos diferentes de aminoácidos, antioxidantes e sete enzimas importantes. O chamado "sangue verde" é composto por:

vitamina A (betacaroteno) - fortalece os ossos, a visão, o crescimento e a reprodução

vitamina B - combate o stress, ajuda o sistema digestivo e favorece o sistema nervoso

vitamina C - melhora a saude dos dentes, pele, musculos e articulações

vitamina E - é antioxidante, protege o coração e previne a degeneração muscular 

vitamina B-17 - previne certos tipos de câncer.

A clorofila possui ainda uma boa quantidade de ferro, zinco, magnésio, potássio e cálcio, minerais que neutralizam a acidez na corrente sanguínea e protegem o sistema imunológico. No que respeita aos sais minerais, esta substância exclusiva dos vegetais é abundante em selênio (poderoso antioxidante), potássio (tonifica os músculos e enrijece a pele), magnésio (fortalece nervos e músculos), ferro (formador de hemoglobina) e sódio (necessário à digestão). Entre as proteínas contam-se a lisina (anti-envelhecimento), a valina (ativa o cérebro), a treonina (estimula a digestão), a tirosina (atua na formação de cabelos e unhas) e o glicínio (oxigena o sangue). Ou seja, uma verdadeira fonte de energia, rica em elementos essenciais à renovação celular e ao equilíbrio orgânico.

Graças à semelhança estrutural com a hemoglobina do sangue, a clorofila é rapidamente absorvida, fazendo com que as substâncias químicas dos alimentos não cheguem ao intestino, limpando o organismo dos radicais livres e protegendo-o contra doenças. Uma ação desintoxicante e depurativa que reforça o sistema imunológico, neutralizando toxinas e aumentando o número de anticorpos. Ao mesmo tempo fortalece o sistema circulatório e o músculo cardíaco e revitaliza o sistema vascular, regulando a pressão, assumindo-se como um poderoso tônico revigorante e rejuvenescedor.
Diversas provas clínicas revelam que a introdução da clorofila na alimentação melhora a absorção de oxigênio e ferro, nutrindo e purificando o sangue, e estimula a formação de glóbulos vermelhos, prevenindo a anemia. Uma vantagem, sobretudo para idosos, convalescentes, gestantes, lactantes e crianças - a partir de um ano de idade. O consumo de clorofila é ainda benéfico no tratamento da arteriosclerose, tensão alta e artrite, pela sua capacidade de remover a matéria estranha das paredes das artérias.
 

A clorofila tem ainda o dom de manter equilibradas as taxas de glicose e colesterol, combater a diabetes e aliviar hemorroidas, além de melhorar a função intestinal e regular a produção hormonal. Outra característica é a capacidade de desodorizar o corpo, reduzindo o mau hálito causado pelo tabaco, bebidas e alimentos, além de eliminar os odores provocados pela transpiração. Graças à sua ação expectorante, quando aplicada localmente nas narinas, diminui a congestão e provoca alívio imediato. Para tratar doenças da cavidade oral, como cáries, estomatites, gengivites, e aliviar a dor de dentes, o ideal é ingerir a clorofila diluída ou massajar as gengivas com o extrato concentrado.
O efeito suave e calmante do sangue das plantas garante à pele brilho e vivacidade, os músculos tonificam-se e relaxam e o corpo ganha flexibilidade. Um elemento natural que também é eficaz na redução da celulite e no tratamento de vários problemas da derme, como irritações, acne, eczemas, úlceras, picadas de insectos ou infecções, penetrando nas camadas mais superficiais e mais profundas da pele. Além disso, garante maior velocidade na recuperação de contusões e queimaduras, devido à sua natural capacidade analgésica, cicatrizante e restauradora dos tecidos. O extracto de clorofila é ainda um grande aliado contra a queda do cabelo, sendo suficiente esfregar o concentrado no couro cabeludo e enxaguar para garantir resultados eficazes.



Embrapa Trigo

doctec_p.jpg (18374 bytes)

Dezembro, 2002
Passo Fundo, RS

15


5. Que a clorofila pode fazer por você?

5.1. Que é clorofila?

Clorofila é a substância que dá cor verde às plantas4. A molécula de clorofila tem a capacidade única de converter energia do sol em energia química (fotossíntese)4. Nesse processo, a energia da luz é usada pelas plantas na síntese de carboidratos. Nas células do vegetal, as moléculas de clorofila estão localizadas nos cloroplastos, nos quais há proteção de proteínas e lipídios associados a suas moléculas, que funcionam como barreiras contra o efeito de componentes celulares destrutivos da clorofila15,16. Nos cloroplastos, juntamente com a clorofila, é encontrada outra classe de pigmentos, os carotenóides15.

Quimicamente, a clorofila é um composto heterocíclico com estrutura tetra-pirrólica chamado porfirina15, que ocorre numa variedade de moléculas orgânicas naturais. É uma mistura de duas substâncias relacionadas,clorofila a (verde azulada) e clorofila b (verde amarelada)6, que se encontram sempre na proporção 1:3 (clorofila a/clorofila b)15. A única diferença entre as duas clorofilas é que a metila (-CH3) na cadeia lateral da clorofila aé substituída por um grupo formila (-CHO) na clorofila b 6 (Figura 3). O grupo mais interessante de moléculas que contêm anéis pirrólicos (porfirinas) é o dos que estão envolvidos na respiração celular ou no transporte ou consumo de oxigênio (como hemoglobina, mioglobina e citocromos)4.

As clorofilas são encontradas naturalmente nas folhas verdes de plantas e são hidrossolúveis. Sua estabilidade na presença de calor, luz e oxigênio é elevada, mas é baixa frente mudanças de pH 11.

O íon magnésio das clorofilas é facilmente eliminado por reação com ácidos fracos, resultando dessa reação a feofitina, de cor verde-oliva16, insolúvel em água6. Enzimas presentes nos vegetais, como a clorofilase, hidrolisam o grupo fitila, formando a clorofilida, verde, mais solúvel em água que a clorofila. Os produtos resultantes da perda do grupo fitila e do Mg+2, os feoforbídeos, têm cor verde acastanhado e sofrem possivelmente transformações oxidativas que dão origem a produtos incolores de degradação16 (Figura 4).

As clorofilas e as feofitinas são lipossolúveis, em decorrência de sua porção fitol, enquanto as clorofilidas e os feoforbídeos (sem fitol) são hidrofílicas17.

O aquecimento do tecido vegetal com água produz rapidamente alterações na cor verde. Inicialmente é produzida uma tonalidade de verde mais escura, com concomitante considerável perda de ar. Essa alteração de cor é provocada pela saída de ar do tecido vegetal, substituído parcialmente por entrada de água e compactação das fibras vegetais com mudança na absorção de luz pela superfície do vegetal16 (Figura 4).

Outras alterações na cor das clorofilas ocorrem por reação com o oxigênio, e os produtos resultantes são pouco conhecidos16.

5.2. Usos e alguns efeitos da clorofila

Segundo os estudiosos mais sérios, como a profa. dra. Ursula Lanfer Marquez, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo, o consumo de clorofila não serve para nada, pois as moléculas de clorofila não são absorvidas pelo organismo. O magnésio presente na molécula de clorofila é um mineral importante para ossos, dentes e músculos e para a transmissão de impulsos nervosos. O magnésio pode ser liberado da molécula de clorofila, mas as quantidades presentes em vegetais, como as folhas jovens de trigo, são tão pequenas que não têm nenhum efeito. O melhor seria uma alimentação adequada, pois esse mineral está presente na maioria dos alimentos, como laticínios, peixes, carnes, frutos do mar, maçã, abacate, banana, feijão, rúcula, batata, agrião, entre outros24.

Os defensores do modismo argumentam que as folhas jovens de trigo podem ser usadas na alimentação como energizante e revitalizante, principalmente na forma de sucos, podendo também ser mastigadas lentamente19.

De certeza, sabe-se que a clorofila é usada principalmente como agente corante, em alimentos, medicamentos e cosméticos6. É um aditivo considerado seguro pela CEE (Comunidade Econômica Européia) e seu número é E14011. É usada em aplicações externas no tratamento de ferimentos e úlceras. Não há provas de que ela acelere a cicatrização de tecidos, porém sabe-se que possui ação desodorante6.

A clorofilina, uma substância química solúvel derivada da clorofila, inibe a atividade mutagênica de certos químicos. Esta atividade parece ser termoestável13.

Vários fatores influenciam a quantidade de suco de folhas jovens de trigo absorvida pelo indivíduo, como metabolismo, saúde e hereditariedade. Em razão do forte poder depurativo desse suco, certos indivíduos podem apresentar náuseas, vertigens e dores de cabeça após beber o suco de folhas jovens de trigo (observe que estes sintomas são semelhantes aos causados por suco contaminado com microrganismos). A ingestão de suco de folhas jovens de trigo não é recomendada durante a gravidez e deve ser limitada a uma porção diária durante o período de amamentação9.

Encontra-se em referências empíricas que, embora muito raro, eventualmente podem ocorrer distúrbios gastrintestinais pela ingestão excessiva de clorofila, a qual, em geral, não é considerada tóxica. O excesso de clorofila pode ser causa de obstrução intestinal, resultando em dores abdominais. O tratamento é simples: somente diminuir ou suspender o uso6. Contudo, não foram encontrados trabalhos científicos que comprovassem esse possível efeito.

5.3. Posologia

Diferentes quantidades de suco de folhas jovens de trigo são indicadas, porém parece claro que a dosagem deve ser aumentada gradualmente.

O suco contendo clorofila obtido a partir de folhas jovens de trigo pode ser misturado com outros sucos ou ingerido puro em doses de 30 a 90 mL. Para melhores resultados, o suco de folhas jovens de trigo feito na hora deve ser ingerido lentamente, de estômago vazio ou quase vazio3.

O suco de folhas jovens de trigo é um forte depurativo. Deve-se iniciar seu consumo em pequenas quantidades, inicialmente aproximadamente 15 g ou uma porção e então aumentar a quantidade com o tempo9.

5.4. Quais vegetais podem ser usados para produção de suco contendo clorofila?

Teoricamente todos os vegetais verdes possuem clorofila, entre outros nutrientes, porém alguns em maior ou menor teor. O espinafre, entre os vegetais, é o que possui teor mais elevado de clorofila, contudo, ele deve ser usado com cautela porque possui alto teor de ácido oxálico, que requer exercícios físicos para ser metabolizado3. Além disso, o ácido oxálico presente no espinafre dificulta a absorção de ferro, cálcio e outros minerais, mas isto pode ser revertido pela combinação com alimentos contendo vitamina C. Porém, o ácido oxálico pode aumentar o risco de cálculos nos rins e bexiga (que são formados dos oxalatos) para pessoas suscetíveis.

O sabor das folhas jovens de cereais varia levemente, dependendo do cereal, variando de doce (centeio) a levemente amargo (cevada). Folhas jovens de centeio e de aveia também podem ser usadas. Mas o conteúdo de nutrientes dessas folhas jovens varia em função do estádio e das condições de crescimento, independente do cereal. Trigo e cevada semeados no mesmo local e colhidos no mesmo estádio apresentam folhas jovens com qualidade nutricional similar, o que pode não ocorrer para duas cultivares de cevadas plantadas em locais diferentes4.

No Brasil, está sendo usado trigo comum (independentemente de variedade) como matéria-prima para produção de folhas jovens de trigo para preparar suco contendo clorofila. Estas folhas jovens de trigo com certeza possuem clorofila, minerais e vitaminas, mas os teores encontrados dependerão do processo usado: terra ou bandejas, condições de luz e água, tempo de cultivo etc. Logo, quem resolver produzir suco contendo clorofila comercialmente poderá padronizar seu método de produção e após, analisar para conhecer melhor a composição química do produto.

Um importante fator que deve ser observado sempre é a qualidade das sementes, que não devem ter recebido tratamento químico (herbicidas, inseticidas, pesticidas), devem ser inteiras, sem grãos partidos ou quebrados, não devem estar chochos ou giberelados, devendo estar limpos e livres de impurezas. Se a matéria-prima não possuir qualidade adequada, dificilmente o produto final a terá.


Documento Online Nº 15Documento Online Nº 15 Publicações OnlinePublicações Online

Copyright © 2002, Embrapa Trigo