Plano de Mobilidade e Transportes Intermunicipal

Área de Influência da Terceira Travessia do Tejo (Margem Sul)


Âmbito


Os Municípios da área de intervenção do PMTI têm registado ao longo das últimas décadas um forte crescimento da taxa de motorização, decorrente da melhoria generalizada da qualidade de vida da população, o que associado à crescente urbanização difusa tem tido como consequência a utilização massiva do transporte individual em detrimento de outros modos de deslocação mais sustentáveis, como por exemplo os transportes coletivos.

Esta evolução traduz-se em diversos impactes negativos para a sociedade em geral, destacando-se os referentes à prosperidade social e económica do território.

Como tal, há que inverter a tendência atual, sendo fundamental repensar o sistema de mobilidade e transportes numa perspetiva de otimização da utilização integrada de todos os modos de transporte e de articulação destes com o modelo de ordenamento territorial.   

Importa assim delinear uma estratégia de intervenção para a área em estudo que responda à necessidade de desenvolver um sistema de mobilidade e transportes sustentável e enquadre o actual processo de revisão dos Planos Diretores Municipais de modo que as redes de acessibilidades e transportes e as condições de suporte a uma mobilidade sustentável sejam considerados elementos fundamentais nos processos de redefinição dos usos do solo.

Assim, com a elaboração do PMTI pretende-se obter um documento estratégico de intervenção para os municípios em matéria de acessibilidades e gestão da mobilidade, através da definição de um conjunto de medidas operacionais que têm como objetivo a transferência modal para modos de deslocação mais sustentáveis  (transportes públicos, modos suaves), ou seja, modos de transportes compatíveis com a prosperidade responsável,  coesão social, defesa do meio ambiente e melhoria da eficiência energética, garantindo uma melhor qualidade de vida aos cidadãos.

A sua elaboração irá atender às seguintes temáticas: