“QUALQUER Casamento pode ser Salvo!!”


Como a sua restauração realmente começou? *


Antes de começar realmente eu quero dizer que fui a mais tola das tolas. As pessoas frequentemente sentem pena de mim por eu ser muito pequena (muitas vezes me confundem com uma adolescente), e ao me virem enfrentando minha crise conjugal e o divórcio, elas ficavam com pena porque, pequena como eu sou, e passando pelo que passei, aos olhos deles, parecia problema demais para alguém tão frágil!   


1 Coríntios 1:27

"Mas Deus escolheu as coisas tolas do mundo para envergonhar os sábios; e Deus escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as coisas fortes.”


Meu marido e eu nos conhecemos por acaso na hora do almoço na área onde nós dois trabalhávamos (em diferentes organizações mas no mesmo local). Mais ou menos 2 meses depois começamos a namorar. Ao chegar em casa após nosso primeiro encontro, um jantar, eu enviei uma mensagem para a minha melhor amiga naquela época dizendo, “Acho que eu conheci meu marido” e logo meu marido (então namorado) me mandou uma mensagem dizendo, “Minha vida acabou de ficar maravilhosa.”


3 meses depois eu estava grávida da nossa primeira filha,ele me pediu em casamento e eu aceitei. Nos casamos 5 meses depois.


Bem, eu tinha entregado a minha vida ao Senhor 6 anos antes, enquanto ainda estava cursando a faculdade na África do Sul. Eu sempre dizia às minhas amigas que não conseguia nem me imaginar com um namorado porque o Senhor ocupava todas as áreas da minha vida e não sobrava espaço para homem nenhum.


Eu havia pedido ao Senhor que não me mandasse de volta para o meu país quando eu me formasse, mas Ele fez isso e eu fiquei com tanta raiva que disse a Ele abertamente que estava furiosa e comecei a me afastar. A minha gravidez foi o resultado do meu afastamento e de eu começar a viver na imoralidade.


Contudo eu sabia que aquilo estava errado, e este foi o primeiro ponto de dificuldade no meu relacionamento e que se tornou um dos principais problemas em nossa vida mais tarde. Embora eu estivesse envolvida sexualmente com meu marido (namorado na época), eu relutava com o conhecimento de que estava vivendo em pecado e nunca me senti em paz quanto a isso. Meu marido, embora acreditasse em Deus, não tinha um relacionamento pessoal com o Senhor e não conseguia entender porque eu estava sempre falando sobre como era errado o que estávamos fazendo, e isso tirava o prazer da coisa toda para ele. Eu o deixava confuso porque eu dizia que não deveríamos fazer aquilo e em seguida eu era quem começava a coisa toda.


Mesmo depois de nos casarmos, quando eu deveria me sentir mais livre neste aspecto, nós dois nunca nos sentíamos livres por causa da nossa história e assim isso contribuiu para o sofrimento do nosso casamento.


Por que eu comecei dizendo que eu fui a mais tola das tolas? Porque meu marido não me traiu; ele era devotado à  nossa família, ele sempre se certificava de que eu soubesse onde ele estava sem que eu perguntasse. Ele era leal a mim em primeiro lugar, antes da sua família (ele tinha realmente deixado a família e se apegado a mim), ele gastava o seu salário em nossa casa e em mais nada. Resumindo, meu marido nunca fez realmente nada que nos levasse ao ponto em que nos encontramos mais tarde.


Eu, ao contrário, AMAVA analizar cada situaçãozinha e era muito controladora e crítica; por exemplo, se ele não estivesse lendo a Bíblia comigo, era ruim para o casamento. Se ele não estivesse orando comigo, era ruim para o casamento; se ele não ligava para a minha mãe com a frequência que eu achava que ele deveria, eu ficava magoada com ele, e assim por diante. Eu continuava o criticando em todas as coisas. Eu não tinha nenhum respeito por nenhuma autoridade, nem por meu marido, nem pelos meus superiores no trabalho, por ninguém. Eu era a MULHER MAIS CONTENCIOSA QUE PUDESSE EXISTIR. Durante toda a minha vida, enquanto eu crescia, eu era conhecida por ser argumentativa e contenciosa, e eu sabia disso. Todo mundo sabia e comentava a respeito disso, mas nós todos pensávamos que isso significava que eu era uma pessoa confiante. Eu me achava a mais inteligente das mulheres e achava que meu marido deveria na verdade estar feliz com o meu intelecto, etc. E além de tudo isso eu ainda era julgadora, uma fariséia hipócrita que passava muito tempo estudando as crenças de várias denominações e religiões e depois passava mais tempo ainda criticando, dizendo que eles eram seitas ou não sabiam interpretar a Bíblia. Vocês acreditam que meu marido me chamou a atenção para tudo isso, vez após vez, e eu disse a ele que não via nada de errado no que eu fazia?!


Ele me alertou sobre as seguintes coisas durante o meu casamento:


1. Eu precisava tomar cuidado com as minhas palavras, ele falou exatamente assim, "As palavras são muito poderosas. Escolha as suas com cuidado".


2. Ele me alertou quanto ao fato de eu não ser submissa e que eu precisava permitir que ele como meu marido me liderasse. Eu respondi a ele simplesmente que não, que eu jamais faria isso.


3. Ele me alertou sobre eu ser contenciosa e argumentativa e que isso o afastava de mim. Eu disse a ele que eu não podia simplesmente concordar com tudo que ele dizia se eu não acreditasse nas mesmas coisas.


4. Meu marido chegou a ponto de amorosamente me dizer que eu procurasse uma mulher mais velha que me ensinasse a ser uma esposa, mas eu disse firmemente que não e que ele é que deveria procurar um homem mais velho para ensiná-lo a ser um marido!


Estou contando tudo isso para mostrar como eu era a tola das tolas porque, diferente de muitas mulheres que dizem que seus maridos se levantaram e foram embora sem aviso e que ELES eram o problema, eu fui completamente alertada, e se tivesse sido mais sábia, eu teria pedido a Deus que me ajudasse, mas não, eu era orgulhosa demais para isso. Meu marido não se jogou no adultério, pelo contrário, ele tentou me ensinar estes mesmos princípios que agora tenho aprendido através do RMI, mas eu fui tola e nunca dei ouvidos!


Por não conseguir enxergar o meu próprio pecado, mas SEMPRE criticar meu marido, sendo infantil em tudo, sempre exigindo que ele fizesse as coisas da maneira que eu queria, nunca permitindo que ele liderasse mas sim querendo eu mesma liderá-lo, ele se afastou e se tornou muito distante e eu fiquei tão infeliz, acreditando que ele não me amava mais e muitas vezes o acusei disso. Ele nem tentou me convencer do contrário, e  foi se afastando cada vez mais até que eventualmente parou COMPLETAMENTE de falar comigo! Eu descobri, assim que ele se afastou de vez, que eu estava grávida da nossa segunda filha e pensei que aí então ele falaria comigo com certeza já que eu estava grávida - errada. Meu marido me encarou com um olhar vazio, sem absolutamente nenhuma reação diante da notícia.


Com mais ou menos 3 semanas deste silêncio, eu arrastei meu marido para o aconselhamento e ele foi somente porque era com um pastor a quem ele respeitava, e ele não queria desrespeitá-lo não aparecendo lá. Se não fosse por isso ele nunca teria ido porque, àquela altura, ele tinha se desligado completamente do nosso casamento.


O aconselhamento piorou tudo porque eu o ouvi afirmar que obviamente ele havia se casado com a mulher errada! Fiquei arrasada. No início, quando me conheceu, ele falava para todo mundo que eu era AQUELA e até comprou um perfume chamado AQUELA! Agora ele dizia o oposto!


Paramos com o aconselhamento imediatamente após aquela sessão e eu pesquisei online e me inscrevi em um programa de ajuda matrimonial secular, que beirava os ensinamentos da nova era por cerca de $1000. Eles prometiam ter a solução final e eu acreditei. Quando nada mudou, eu soube que meu casamento havia acabado. Meu marido não me dizia nem oi, embora ainda morássemos na mesma casa e dormíssemos na mesma cama.


Mais uma vez, como a tola das tolas, eu decidi sair de casa! Eu não aguentava mais o silêncio, e entrei em contato com uma advogada especializada em divórcio para saber se eu poderia mudar da casa legalmente com nossa filha. Ela disse que sim, então eu fiz as malas e fui morar em uma casa alugada determinada a me divorciar.


Cerca de 2 semanas depois, eu acordei ouvindo esta pergunta bem dentro de mim, “Se você não orar pelo seu marido, quem irá?” Na noite seguinte aconteceu outra vez, e eu creio que tenha sido o Espírito Santo me enchendo com poder e fervor para orar, dia e noite, mesmo enquanto eu dirigia.


Naquela época eu não sabia que ainda se passariam 10 meses antes que Deus respondesse às minhas orações, porque havia sido Ele quem “removeu amigo e companheiro para longe de mim” por eu ter abandonado o meu primeiro Amor.


Como Deus mudou a sua situação quando você  O buscou de todo o coração? *

Durante os 10 meses em que meu marido não quis nem saber de mim, eu busquei ajuda. A igreja não conseguiu me ajudar; eu fui a uma igreja em que o pastor também era profeta, mas Deus não me deu nenhuma profecia a respeito do meu casamento!


Eu procurei ajuda online e encontrei um ministério de “permanência” onde recebi muita esperança para o meu casamento, mas infelizmente lá não me ensinaram os princípios Bíblicos sobre como deixar Deus restaurar um casamento, então minha situação não melhorava.


Um dia, com 8 meses de separação, eu me ajoelhei diante do Senhor e disse, "Senhor, minha situação não mudou em nada. Estou cansada de não sair do lugar neste deserto, vamos passar para uma nova fase, para um novo nível." 2 dias depois eu me deparei com o RMI e quando li, ESTE É O SEU ENCONTRO DIVINO, DEUS OUVIU O SEU CLAMOR, eu soube que era a minha resposta!


Eu devorei o que fui lendo por 2 semanas no meu celular antes de ter um computador e começar os cursos. Fui aplicando os princípios imediatamente, parei com TODAS as tentativas de entrar em contato com meu marido e não fiz nada mais na carne.


Quando o RMI disse que havia sido o Senhor quem tinha removido o meu marido, eu me lembrei imediatamente da minha época na faculdade, quando o Senhor era tudo que eu queria e precisava, a razão da minha vida, e de como eu havia O abandonado e virado as costas. Por isso eu sabia que Ele tinha removido meu marido para que eu voltasse para Ele, meu primeiro Marido, como Ele havia sido antes. E porque antes eu havia “provado e visto que o Senhor é bom”, eu O busquei desesperadamente para reviver o relacionamento que tivemos juntos na faculdade. Eu orava e dizia, “Senhor, eu sei do que Erin está falando, eu experimentei isto antes, por favor vamos voltar, por favor.” Eu dizia, e ainda digo a Ele “me dê este mesmo tipo de relacionamento Contigo como Você tem com Erin.”


Logo eu me apaixonei tão perdidamente por Ele que eu não queria mais restauração e na verdade parei de fazer as minhas lições diárias! Mas aí então senti uma urgência em jejuar e buscá-Lo a este respeito e Ele me colocou de volta no caminho da restauração, me lembrando da razão que Ele havia colocado em meu coração inicialmente para desistir de procurar o divórcio.


Em vez de retornar às minhas lições, Ele me guiou a comprar o livro Enfrentando o Divórcio, mal sabendo eu que em poucos dias estaria recebendo os papéis do divórcio!!! Quando eles chegaram, eu sabia exatamente o que fazer— caí de joelhos e O louvei. Literalmente tudo que saiu da minha boca foi louvor, e este foi o ponto de virada da minha restauração.


Quais princípios, da Palavra de Deus (ou princípios dos nossos recursos), o Senhor te ensinou durante esta provação? *

A permanecer quieta. A só falar com bondade. A me submeter ao meu marido e à toda autoridade. A deixar ir minha igreja e me tornar a Sua Igreja, a Sua noiva. A trazer o meu dízimo inteiro para a minha casa do tesouro (isso fez uma diferença imensa no meu avanço) e tantos outros princípios que não posso nomear todos.


Quais foram as horas mais difíceis que o Senhor te ajudou a atravessar? *

Passar pelos 9 meses de gravidez sem o meu marido, com ele nem ao menos falando comigo. A parte mais difícil foi dar a luz ao bebê sem que ele nem se interessasse. Contudo, pela graça de Deus, meu marido agora é muito envolvido com a nossa filha e a ama de paixão!


Qual foi o “ponto de virada” da sua restauração? *

Foi quando meu marido deu entrada no divórcio. Felizmente após ler o livro Enfrentando o Divórcio eu estava pronta e sabia o que fazer e segui os princípios. Eu sabia que meu milagre estava naqueles princípios, por isso li o livro  Enfrentando o Divórcio outra vez para me certificar de que eu não estava violando nenhum deles.


Então eu concordei rapidamente, não tive advogado, me encontrei sozinha com meu marido e o advogado dele, embora nos papéis estivessem afirmando coisas que não fossem  verdadeiras, e eu basicamente iria sair sem nada, nem mesmo um carro (embora tivéssemos 3). Ao invés de dizer qualquer coisa que eu queria ou precisava, eu disse que a oferta que ele estava me fazendo era muito generosa e que eu estava grata. Acho que isto os deixou perplexos! Quando foi pedido que eu assinasse os papéis eu fiz sem hesitar. O advogado perguntou como eu estava me sentindo e eu disse que estava feliz pelo meu marido porque ele merecia ser feliz.


Compartilhe conosco COMO isso aconteceu. Seu marido simplesmente apareceu? *

Depois deste encontro com o meu marido e com o advogado dele eu continuei orando contra o divórcio, mas não muito fervorosamente porque eu sabia realmente que o que acontecesse não importaria, eu ficaria bem porque eu tinha um Marido de qualquer forma.


Um dia me senti guiada a ler Filipenses 4:5 que diz, “Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.” Em seguida fui guiada a ler quatro versos em uma ordem específica. Eu não conhecia estes versos de maneira alguma:


Filipenses 4:5 “Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.”


Gálatas 4:5 “…a fim de redimir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos.”


1 Coríntios 4:5 “Portanto, não julguem nada antes da hora devida; esperem até que o Senhor venha. Ele trará à luz o que está oculto nas trevas e manifestará as intenções dos corações. Nessa ocasião, cada um receberá de Deus a sua aprovação.”


2 Coríntios 4:5 “Mas não pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo, o Senhor, e a nós como escravos de vocês, por causa de Jesus.”


1 Tessalonicenses 4:5 “ não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus.”


Quando os coloquei todos juntos eu li:


“Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor a fim de redimir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos. Portanto, não julguem nada antes da hora devida; esperem até que o Senhor venha. Ele trará à luz o que está oculto nas trevas e manifestará as intenções dos corações. Nessa ocasião, cada um receberá de Deus a sua aprovação.Mas não pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo, o Senhor, e a nós como escravos de vocês, por causa de Jesus, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus.“


Eu meditei a este respeito e perguntei ao Senhor o que significava aquilo, mas não obtive resposta.


2 DIAS DEPOIS meu marido, que me desprezava e que passou 10 meses sem falar comigo, me ligou e disse que estava no meu portão. Ele foi me falando sobre lutar pelo casamento, que ele não podia acreditar que eu tinha concordado com o divórcio sem lutar, que eu tinha que pensar nas nossas filhas pequenas que precisavam de uma família inteira e do pai. HAHA Inacreditável!! Eu, com todo respeito, respondi que sim, okay.



As filhas Omele e Mercy


Uma semana depois ele voltou novamente (2 semanas antes da audiência na corte) e me pediu para me mudar para a casa dele. Então agora eu estou levando as coisas aos poucos e durmo lá todas as noites. Faz poucos dias mas tem sido dias maravilhosos. Eu amadureci e estamos desfrutando o nosso relacionamento e nossa família.


Você suspeitou ou viu que estava perto de ser restaurada? *

Absolutamente não. O muro de ódio permaneceu extremamente forte durante todo o tempo, até que meu marido veio me dizer que não queria mais o divórcio. De fato, na noite anterior ele tinha vindo trazer nossa filha e mal havia trocado uma frase comigo. Outras pessoas diziam que conseguiam ter intimidade com seus cônjuges e eu sempre imaginava como, porque na minha situação o meu marido me detestava tanto que nunca poderia ter havido uma possibilidade disso acontecer. Durante os 10 meses inteiros!


Você recomendaria algum dos nossos recursos em particular que te ajudou? *

Sim. TODOS! O livro Como Deus Pode e Vai Restaurar Seu Casamento. Os cursos online RRR. Os Vídeos Seja Encorajada.  Os livros Uma Mulher Sábia e Enfrentando o Divórcio. Eu li e reli o livro Enfrentando o Divórcio. Embora eu não tenha completado os meus cursos online, eu li e reli todas as lições e o Senhor está me guiando a refazer o Curso 1 "Esperança Finalmente" e seguir da maneira que o ministério recomenda.


Na verdade, o que eu recomendo é ler diariamente pelo menos um capítulo do livro Uma Mulher Sábia ou Como Deus Pode e Vai Restaurar Seu Casamento mesmo após a restauração. Continuar lendo DIARIAMENTE junto com as leituras Bíblicas. Eu ainda leio tudo SEM FALHAR.


Você estaria interessada em ajudar a encorajar outras mulheres? *

Absolutamente sim.


Ao concluir qual tipo de encorajamento você gostaria de deixar para as mulheres? *


Após a minha própria experiência eu sei que QUALQUER casamento pode ser salvo. Apenas creia e receba. Mas, acima de tudo, tome o Senhor como seu Marido. Ele é encantador!


Há muitas outras coisas maravilhosas que Ele fez por mim durante a minha JR, mas são tantas que não há como contá-las.


João 21:25

"Jesus fez também muitas outras coisas. Se cada uma delas fosse escrita, penso que nem mesmo no mundo inteiro haveria espaço suficiente para os livros que seriam escritos."





Kopano na Namíbia