Bert Hellinger

O método das constelações sistêmicas familiares, organizacionais e pedagógicas foi desenvolvido pelo teólogo e psicologo alemão Bert Hellinger ja ha mais de 30 anos e desenvolvido por um grupo inicial de médicos,, psicólogos pedagogos e filósofos como o psiquiatra professor  na Universidade Heidelberg, Gunthard Weber,. Hunter Beaumont, Jakob e Sieglinde Schneider, Mathias Vargas, Jakob Stan e tantos outros. Ele vem coroar todo um desenvolvimento das terapias sistêmicas e transgeracionais. Na realidade este método não pertence a nenhuma área acadêmica, mas vem sendo usado por muitos da medicina, psicologia, pedagogia, consultores, administradores de empresas. É um método que pode ser associado ás abordagens terapêuticas tradicionais e não tem a pretensão de substitui-las mas somar e dar uma visão do sujeito dentro do sistema ao qual esta inserido e  no clareamento das dinâmicas implícitas ocultas dentro do sistema. A terapeuta Erika Mimansa e Renato Shan em uma escala restrita introduzem o método em Sao Paulo. Em 1997 começamos com os primeiros grupos no Brasil coordenado pelo terapeuta alemão Richard Hoffmann e a terapeuta Esther Frankel seguidos pelo psicologo Reginaldo T Coelho (. Neste site voces podem ver muitos artigos, filmes, trabalhos de pesquisa cientifica e ate a atual pos graduação na Escola Superior de Ciências da Saúde Escs/Fepecs e o governo do Distrito Federal  em Brasilia. Alguns conselhos federais ja aceitam o método como técnica utilizável,  vejam em 'biblioteca'



A Nova Diretoria

Em novembro de 2015, em Brasilia, foi realizada a eleição da nova diretoria da ABC SISTEMAS , conforme o estatuto, elegendo a chapa SISTÊmica com os seguintes associados:

                        Nova diretoria da  ABC Sistemas
Em novembro de 2015, foi realizada uma nova eleição conforme o estatuto e foi eleita a 
Chapa Sistêmica, composta pelos seguintes associados :
Reginaldo Teixeira Coelho, Tarso Firace, Fernando Freitas, Adhara Vieira, Andrea Durso, Rosangela Ferreira, Alexia Durso, Zaquie Meredith, Solange Betão, Moacir Amaral, Ricardo Mendes, Ana da Fonte, Valney Brugger, Christian Curioni, Celene Thaumaturgo, Edvilson Brasil Junior, Carla Queiroz, Carol Zanoni, Talitha de Magalhães Ferreira, Maria Bernardete Ribeiro, Maria do Carmo Figueiredo, Emilio Barreto Murta, Tatiana Guimarães, Amélia Kassis.

Bert Hellinger

Cursos,  Seminários e Workshops atuais chancelados 
ou organizados por membros ativos da ABCsistemas.
Clique em agenda para saber de mais  eventos.
Seja um constelador associado!
Antoon de Kron com Miguel de Dseus e Vania de Goiania
 
Realizado em Setembvro de 2017 o Módulo da pós graduação dirigido pel     o casal Jakob e Sieglind Schneider, um grande sucesso da ESCS Brasilia.
 
abc


                
Anton de Kroam de 21 a 25 de setembro em Brasília                                                                             
                                Alunos e ex-alunos de cursos chancelados pela ABC SISTEMAS, 
                                                     desconto 10% e parcelamento                              
                                                                                   informações: Miriam Braga - 61 9223 5685                                                                                                
                                                                                        www.sistemicaconsultoria.com                                                                                                           
 Jakob Schneider no Centro Cultural de Brasília
Auditório lotado, grande sucesso, no final de julho de 2016 
                                                    Jakob Schneider na pós Graduação da Escola Federal das Ciências da Saúde em Brasília, DF.



Projeto Constelar e Conciliar- Constelações no Judiciário, Pela primeira vez na América do Sul, curso na AMAGIS, escola de Magistratura de Brasilia,Tendo já realizado os módulos com Adhara Campos, Ana da Fonte , Tarso Firace, e proximos Valney Brugger e Christian Curioni e na sequencia de 23 a 27 de outubro módulo com bonecos em sessões individuais com Reginaldo T.Coelho
Adhara Campos Vieira - Brasília

Desenvolvo, desde o ano passado, um projeto de cunho comunitário, social e jurídico, junto ao Tribunal de Justiça do DF, intitulado "projeto Constelar e Conciliar", já é oficial no Tribunal.

Tal projeto iniciou-se no segundo semestre de 2015, com o meu trabalho de monografia (A constelação como um instrumento de mediação para a resolução de conflitos no Poder Judiciário), belamente orientado pelo Ministro Nefi Cordeiro, Ministro do STJ e professor do IESB na área penal e de resolução de conflitos.

1.  Vale esclarecer que junto ao TJDFT, atuo de formavoluntária, em parceria com cinco setores do Tribunal (CEJUSC - Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania, CEJUSC Taguatinga, Programa dos Superendividados, Vara Cível, Órfãos e sucessões do Núcleo Bandeirante, Quinta Vara Criminal e Vara da Infância e da Juventude) alves voces possam organizapara realiztre em contato com ela falei de voce e ar sessões semanais de constelação para atender à população que está com demanda no Tribunal e atender adolescentes que estão em entidades de acolhimento (abrigos). Segue a estatística de índice de acordos de uma das unidades atendidas, divulgada no site oficial do Tribunal:

 http://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2016/julho/vara-de-familia-do-nucleo-bandeirante-divulga-resultados-positivos-do-projeto-constelar-e-conciliar

Oficialmente, trabalho no TST, na vice-presidência, assessorando a Comissão Nacional de Promoção da Conciliação na Justiça do Trabalho, o Dr. Rogério Neiva, juiz auxiliar convocado do TRT da 10ª Região, e o Ministro Emmanoel Pereira, Vice-Presidente do TST e gestor nacional da Conciliação. 

No ano passado, foram feitas 8 sessões vinculadas à Vara da Infância e Juventude, no Lar São José. As sessões foram relatadas e consta de relatório junto à VIJ.  

As sessões são abertas ao público (exceto a do grupo Superendividados que é fechada), advogados, promotores, juízes, terapeutas, conciliadores, mediadores, servidores e sociedade em geral (basta se inscrever no email: cursos.nupemec@tjdft.jus.br). Segue nota da chamada inicial do projeto, quando saiu do caráter piloto do ano passado e entrou como institucional:

http://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2016/fevereiro/tjdft-comeca-a-usar-constelacoes-familiares-na-resolucao-de-conflitos

No Superior Tribunal de Jutiça - STJ, já houve uma reunião, com o intuito de firmar parceria para atender os servidores do órgão.

Esclareço que em outros estados, está acontecendo o mesmo movimento, no sentido de incluir a constelação como um instrumento de resolução de conflitos, visto a recente alteração no código de processo civil, que institui uma mudança de paradigma quanto à situação de litígio no país. Os links estão ao final do email (Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Pará, Alagoas, e recentemente Mato Grosso e Maranhão). No exterior, há o curso de mediação sistêmica, em Pamplona, na Espanha, que já utiliza a técnica da constelação nas sessões de mediação.

Recentemente, ministrei curso na Escola Judicial de Maceió, em Alagoas, que contou na formação dos juízes, segue o link:

Curso ministrado na Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região:

 http://www.trt19.jus.br/siteTRT19/portal/portalNoticias.jsp?codigoArt=9508

Ministrei também palestra na OAB de Juiz de Fora e de Taguatinga e no auditório da Escola de Maceió, segue alguns links:

 http://www.tjal.jus.br/comunicacao2.php?pag=verNoticia&not=10233

http://aquiacontece.com.br/noticia/2016/07/16/esmal-promove-palestra-sobre-constelacao-familiar-nesta-tercafeira-19

 

O formato do projeto eu escrevi pensando em introduzir o pensamento sistêmico nos métodos já tradicionais eleitos pelo CNJ para solução de conflitos (mediação e conciliação).

 

Envio algumas matérias, palestras e entrevistas que ministrei acerca do tema e fico no seu aguardo para conversamos. Solicito que me confirme recebimento deste e-mail. Gratidão pela atenção!

Respeitosamente! 

Adhara Campos Vieira 61 - 99985-8481



Realizado em novembro de 2015 em São Paulo, com a presença das " estrelas" das Constelações no Brasil
                   
Reginaldo Coelho, Zaquie Meredith, Celene Thaumaturgo, Solange Bertão, Alexia Durso, Thalita Ferreitra, Leticia Roscoe, Ana da Fonte, Adhara Vieira, Ricardo Mendes, Fernando Freitas, Christian Curione, Valney Brugger, Moacir Amaral, Tarso Firace, Estudantes de Constelação e consteladores vindos de Minas Gerias, São Paulo, Brasilia, Rio de Janeiro, Alagoas e Pernambuco.



Congresso Internacional de Ciências Transpessoais- Milão- Italia 18 a 21 de junho 2015 ( realisado)

 Com professor- Pier Luigi Lattuada

Formação Internacional em Constelações sistêmicas parceria 
ABCsistemas e Istituto Artemisia-
Olbia Sardegna-Italia, inicio: 13, 14 e 15 de novembro 2015
Professores : Tarso Firace, Bertold Ulzamer, Jacob e Sieglinde Schneider e Leticia Roscoe  
e coordenador didático Reginaldo Coelho, 

                          
 
Informações: assoc.artemisia@gmail.com 
com Esther Fancello

Enquanto isso, em gestação 
  II Congresso Brasileiro de Consteladores Sistêmicos a ser realizado em Brasília 
nos dias 30 de setembro 1 e 2 de Outubro 2016.
Local a ser confirmado.

                                              
                                                                  Informações  contato.constelabrasil@gmail.com




Supervisão e Treinamento em Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacional,
Com Jacob Schneider em São Paulo em novembro de 2015 - realizado 
Organização Richard Hoffmann , e Rubens Bresciane 
informações Rubens.Bresciane@gmail.com
011 3872-4562 / 9 9603-2995



Cursos de Formação chancelados pela ABC SIstemas em parceria com Imensa Vida 
em andamento 
             Foz do Iguaçu - Organizadora Alyne Del Vesco 45 9969 4823 
Maceió - Organizadora  Zunara Lyra  82 999714551
Porto Alegre - Ninor Cramer   51 81674709
Mauá SP, Alzenir Araujo  11 995469800
Curitiba   Ana Paula 41 85021119
Bauru - Suzana Baptista 14 981358200
Belo Horizonte - Andrea e Alexia Durso 31 999552559
                                Itaipava - Organizadora Maria Clara Caldeira  24 988211546
                     Brasilia - Organizadora Adhara Campos Vieira  61 - 99858481
 


Congresso internacional de constelaçoes sistemicas
Explicando o Inexplicavel, em  Acapulco México setembro 2013
(Pequeno resumo esta em biblioteca, textos, fotos em agenda)
vale a pena ver 
                                                                                                                         
Tarso Firace Vera Bassoi e Reginaldo coelho em Acapulco 

Supervisão em São Paulo para consteladores com Jakob Schneider em abril 2014
  este supervisor foi substituído por medico argentino Miguel Angel Schiavo devido impossibilidade da vinda de J. Schneider
Foi um trabalho mostrando as varias possibilidades das constelaçoes de doenças e psicssomatica
veja em agenda e em fotos 



   



Condolências a Gunthard Weber

Há  semanas atrás a esposa de Gunthard, faleceu vitima de câncer em Heidelberg Alemanha, Cornelia( Neles) medica psiquiatra, esteve conosco em varias seminários durante os anos das formações. Uma pessoa simpática, presente e amorosa, fica ai Gunthard o nosso carinho e gratidão.


TÉCNICA DAS CONSTELAÇÕES

Psicoterapia ajuda a resolver ações de família na Bahia

Por Victor Vieira

Longe dos divãs, casais em separação ou filhos de pais divorciados têm encontrado técnicas de terapia nos tribunais. Os juízes não foram substituídos por psicólogos, mas o Judiciário decidiu importar alternativas dessa área para resolver litígios de família. Um dos exemplos é o da Comarca de Castro Alves (BA), que usa o método das constelações sistêmicas familiares, inspirado no trabalho do filósofo, teólogo e terapeuta alemão Bert Hellinger. A prática, que envolve dinâmicas, discussões em grupo e depoimentos de crianças com brinquedos, de modo lúdico, leva à conciliação em quase 90% dos processos.

“É uma experiência piloto que iniciamos em outubro de 2012 e nossa meta é aplicá-la em todos os processos de família que temos”, anuncia o juiz da Vara Cível da Comarca da cidade, Sami Storch. Além de encerrar a disputa judicial, segundo ele, o método permite o reconhecimento mútuo dos problemas e diminuição das mágoas. Inicialmente, o recurso psicoterápico era usado somente em audiências, mas depois foram promovidas palestras coletivas. “As pessoas ficam sensibilizadas, até chegam às lágrimas durante os encontros”, conta o juiz, que aprendeu sobre as constelações familiares quando era advogado.

Segundo os dados da comarca, o índice de conciliações é de 88% nos processos em que uma das partes vivenciou a prática e de 69% nos outros. Em questionários respondidos por 60 pessoas após uma audiência de conciliação, mais da metade reconheceu a importância da palestra para chegar a um acordo. A iniciativa, para Sami Storch, também tem mudado a mentalidade de servidores e advogados sobre os litígios de família. Na segunda (27/5) e na terça-feira (28/5), haverá mais duas palestras com as constelações familiares. Entre 17 e 18 de junho, haverá um mutirão de conciliação na Comarca de Castro Alves.

Segunda chance
Outra iniciativa no mesmo sentido ganhou força em 2012, com a incorporação, pelo Conselho Nacional de Justiça, das chamadas oficinas de parentalidade, apoiadas pelo conselheiro José Roberto Neves Amorim. A ideia dessas atividades é fornecer aos casais ferramentas que evitem a separação conjugal e tentem a conciliação ou mediação, sem tratar o divórcio como vingança. As primeiras experiências foram na Bahia, no Distrito Federal e no Rio de Janeiro. Hoje o procedimento já é adotado em cerca de 50 comarcas no país e o CNJ decidiu treinar os juízes para dar as palestras.

“O material sempre foi muito pedagógico, fácil de ser replicado”, conta o juiz André Gomma Azevedo, da Bahia, membro da Comissão do Movimento Pró-Conciliação do CNJ e um dos responsáveis por difundir as oficinas. Segundo ele, os promotores e juízes aprovaram a ideia porque evidencia a tendência do Judiciário de resolver a questão além dos processos. “É importante lembrar que não se trata de um trabalho para substituir a psicoterapia. Queremos apenas mudar a dinâmica nos tribunais”, ressalta.

Desde março, a 2ª Vara da Família e Sucessões de São Vicente (SP) tem adotado uma versão adaptada, as oficinas de pais e filhos, baseadas em experiências do Brasil, dos Estados Unidos e do Canadá. A cada semana, envolvidos em litígios se reúnem por quatro horas para discutir os problemas familares. Eles são divididos em três grupos, de dez a 15 pessoas: um dos adultos, outro dos adolescentes (12 a 17 anos) e outro das crianças (6 a 11 anos). Os casais são separados em turmas diferentes para evitar desentendimentos durante a atividade. Duas cartilhas também ajudam na condução das oficinas.

"É um programa multidisciplinar, que funciona como uma etapa preparatória para a mediação. Além de mostrar boas práticas parentais e os efeitos nocivos das brigas às crianças, trazemos questões jurídicas, como a diferença de guarda alternada ou compartilhada", explica Vanessa Aufiero da Rocha, juíza da 2ª Vara da Família e Sucessões de São Vicente. No estado de São Paulo, 17 comarcas já estão interessadas no trabalho, inclusive a da capital. Em agosto, o CNJ lançará o mesmo projeto para todos os tribunais de país.

União delicada
A relação entre operadores do Direito e da Saúde tem sido cada vez mais comum, mas é acompanhada de ressalvas. A psicanalista e diretora do Instituto Brasileiro de Direito de Família,Giselle Groeninga, defende o foco na resolução da disputa judicial. O fim do conflito, para ela, envolve um processo mais complexo, que fica além da competência do Judiciário. “Não podemos ter a ilusão de que algumas horas de palestras possam mudar substancialmente as relações”, alerta a especialista, que destaca a importância de formação específica na área.

Embora a meta seja aliviar o número de ações de família que chegam às cortes, não deve ser adotada a política da conciliação a todo custo. “Tais iniciativas podem agravar a situação”, adverte a especialista. Para ela, a grande quantidade de acordos vista na Comarca de Castro Alves pode ter mais ligação com a nova postura dos juízes do que com a Psicoterapia. “Será que um tratamento mais humanizado e respeitoso, um sistema que funcione, cartórios eficientes, juízes menos sobrecarregados, equipes multi e interdisciplinares e varas especializadas não surtiriam melhor e mais seguro efeito?”, questiona.

Victor Vieira é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 26 de maio de 2013



Em 2016 continua a pos graduação em Brasilia

 info:miriamcbraga@uol.com.br